Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


.: Sexagenária e a Festa Surpresa :.

 

60 Anos-001.jpg

 

Os 60 Anos já cá estão - “Sexagenária”

Este ano conseguiram surpreender-me 

Adorei cada segundo, cada palavra, cada gesto mas principalmente adorei que as pessoas que eu amo de coração se tenham reunido para me fazer esta surpresa.

- 60 Anos de vida com memórias agridoces, doces e muito doces.

- 60 Anos de vida em que aprendi a gostar de viver, mas principalmente a gostar de quem gosta de mim … A Minha Família e os meus Amigos

Obrigada Família e Amigos pelo Dia Maravilhoso que me proporcionaram 

 Fernanda Grilo (Grilinha)

.: As etapas/crises da Vida :.

 

 

Envelhecer é inevitável e faz parte do crescimento natural e contínuo da vida.

Neste processo evolutivo acontecem momentos de abrandamento aos quais lhes chamamos “etapas/crises”.

Ao longo da vida as “etapas/crises”, pequenas ou grandes, traumáticas ou naturais, sucedem-se e encaixam-se num crescente de aprendizagem e saber.

 

Crise da puberdade – se tive nem me lembro!!

Crise da adolescência – lembro-me que dei algumas (bastantes) dores de cabeça à minha mãe

Crise dos 20 – nem sei se a tive porque foi a melhor fase da minha vida (casamento e filhos)

Crise dos 30 – uhmmm ...... bem ..... ..... nem sei por onde começar, pois … … só me lembro que a cada dia que passava achava que o Mundo ia ser meu (família, curso e carreira de vento em popa).

Crise dos 40 – esta chegou aos 20 dias depois dos 40 (6/1/1998) tipo, bomba atómica!!

Crise dos 50 – saltou definitivamente para a crise dos 70 (sofá, robe, pantufas, internet, chá e bolachas)

Segundo dizem os entendidos, saltei a “etapa/crise” da meia-idade (40-60), a fase da consciência do próprio envelhecimento e da existência de limites da vida.

 

Já realizei muitos dos meus sonhos (família, filhos, carreira).

Os meus pais já se foram e os filhos já trilham pelo seu próprio pé os caminhos da independência.

Deparo-me agora com o factor tempo ou falta dele.

- “ter tempo para isto ou para aquilo”

A minha relação com o “tempo” não está a ser nada fácil e os cabelos brancos, as rugas e a frágil condição física são a prova disso.

Será sempre uma incógnita saber quando atingimos a “meia-idade”

- Quem é que sabe onde fica o meio-da-idade??

- Os 56 anos chegaram hoje e o futuro a Deus pertence.

Deixei de dizer:

- Amanhã eu vou ou Depois de Amanhã eu faço.

Passei a dizer:

- Hoje não consigo, talvez amanhã lá vá .... (mas sempre acreditando que chego lá - ao amanhã)

 

Obrigada família, amigos reais e net_amigos, por me fazerem companhia ao longo destes anos, pela paciência e apoio que me dão.

Grilinha (16/12/2013)

.: Cinquenta e .... dois :.

Envelhecer é inevitável e faz parte do crescimento natural e contínuo da vida.

 

Neste processo evolutivo acontecem momentos de abrandamento aos quais lhes chamamos “etapas/crises”.

 

Ao longo da vida as “etapas/crises”, pequenas ou grandes, traumáticas ou naturais, sucedem-se e encaixam-se num crescente de aprendizagem e saber.

 
Crise da puberdade – se tive nem me lembro!!

Crise da adolescência – lembro-me que dei algumas (bastantes) dores de cabeça à minha mãe

Crise dos 20 – nem sei se a tive porque foi a melhor fase da minha vida (casamento e filhos)

Crise dos 30 – uhmmm ...... bem ..... ai ai ..... nem sei por onde começar pois só me lembro que a cada dia que passava parecia que o Mundo ía ser meu (família e carreira de vento em popa).

Crise dos 40 – chegou aos 40 e 20 dias tipo, bomba atómica (quem quiser saber mais basta clicar ali na Tag saúde)

Crise dos 50 – saltou definitivamente para a crise dos 70 (robe, pantufas e sofá)


 

Segundo dizem os entendidos, já ultrapassei a “etapa/crise” da meia-idade (40-50), a fase da consciência do próprio envelhecimento e da existência de limites da vida que coincide com a “etapa/crise” das hormonas.

 

Já realizei muitos dos meus sonhos (família, filhos, carreira).

Os meus pais já se foram e os filhos já trilham pelo seu próprio pé os caminhos da independência.

 
Deparo-me agora com o factor tempo ou falta dele.

- “ter tempo para isto ou para aquilo” , “ recuperar o tempo perdido!!”

 

A minha relação com o “tempo” não está a ser nada fácil e os cabelos brancos, as rugas e a débil condição física são a prova disso.

 

Será sempre uma incógnita saber quando atingimos a “meia-idade”

- Quem é que sabe onde fica o meio-da-idade??
 
Os 52 anos chegaram hoje e o futuro a Deus pertence.
 
Deixei de dizer: - Amanhã eu vou ou Depois de amanhã eu faço

Passei a dizer: - Hoje não consigo, talvez amanhã lá vá .... (mas sempre acreditando que chego lá - ao amanhã)

 

Obrigada por me visitarem e pela paciência em me lerem.

 

.: Não foi nada disto que eu planeei para o dia do meu aniversário :.

Mais uma contrariedade mas desta vez no dia do meu aniversário.

- hemorragia gástrica por ulcera ou fístula colecisto-entérica

 

A semana passada já tinha sido diagnosticado um agravamento na anemia o que levou ao espalhanço.  (post do dia 9/12)

Duas transfusões deveriam repor parte da energia, mas não!!

 

2ª feira (15/12) - novas análises com indicação de urgência.

3ª feira (16/12) - 8:30 pensava que era já o pessoal a dar-me os parabéns bem cedo mas afinal a voz do outro lado trazia más noticias:

- Fala do laboratório para lhe revelar os valores alarmantes das suas análises. Deve contactar imediatamente o seu médico

 

Depois de um telefonema segui para o Egas Moniz onde já me aguardava 1 unidade de (A RH-)

 

Peço desculpa a quem telefonou mas, não me foi possível atender por estar no Hospital de Dia a fazer a transfusão até às 18:00 horas.

 

Obrigada a todos os que me telefonaram, enviaram sms ou comentaram no blog.

Obrigada aos médicos do serviço de imuno-hemoterapia que uma vez mais me receberam e trataram num momento de aflição.

Obrigada à minha médica de gastro - Drª Paula Peixe - que me observou e diagnosticou o que mais se temia: hemorragia gástrica

 

Repouso, dieta e nova transfusão na 6ª feira (a 4ª em 8 dias)

 

Um beijinho e um xi-coração a todos os que me acarinham real ou virtualmente.

 

opsss .....  já me esquecia de agradecer á filha "les pantufes françaises trés quentinhas" e ao filho a "máquina fotográfica leve e discreta"

O almoço e a surpresa que tinha planeado ficam para outra altura.

 

Grilinha

.: Cheguei aos 50 anos :.

 


Cinquentenária ..... Meio Século.


Chegada que estou aos 50 anos, tenho a consciência de que todos são mais novos que eu.


Já não olho para o relógio com a correria de outrora mas sim para me certificar das horas.


Já não tenho paciência para ouvir discursos vazios.


Já não suporto a presença de invejosos.


Já não faço projectos com data marcada.


Já vivi uma revolução.


Já vivi a passagem de um século.


Já vivi numa Ditadura e numa República (ás vezes parece a das bananas!!).


Já vivi a alegria do nascimento de 2 filhos.


Já vivi a tristeza de perder os meus pais.


Já ri e gargalhei .... muito.


Já sonhei .... bastante.


Já sofri .... demais.


Já vivi ..... e quero continuar a viver.


Vivo um dia atrás do outro.


Tenho uma FAMILIA.


Tenho AMIGOS.


Já tenho ... 50 anos


..........

 

Post editado a 17/12/2007

Links de algumas prendinhas

Prendinha da Delta 

Prendinha da Mary90 e do Marius70

Prendinha da AnaD - Partilhar Lisboa

Prendinha da Saltapocinhas - Fábulas

.: Porque hoje é o meu aniversário :.

(Recebi este texto por mail e achei-o tão especial que decidi colocá-lo aqui hoje neste dia tb tão especial para mim)



Psiu!!

Olha bem discretamente para os lados e vê se tem alguém olhando para ti.
 
 
Se tiver, disfarça, finge que estás balançando o pescoço para tirar aquele cansaço básico e chega aqui junto ao monitor.
 
Quero-te contar algo que é segredo por enquanto, pouca gente sabe o que eu te vou contar. Prometes espalhar para toda a gente?
 
Isso mesmo, o que eu te vou contar é segredo, mas eu quero que deixe de ser a partir de hoje, afinal de contas, toda a gente precisa saber o quanto tu és especial.


Ah! Se todos soubessem o quanto de carinho, atenção e amizade tu tens dentro do coração.
 
Com todas as lutas que esta vida oferece, tu ainda tens tempo para ouvir um amigo ou amiga.
 
Com tanto desprezo que anda por aí, tu respeitas as pessoas, as opiniões e estás sempre a tentar encontrar um equilíbrio para não ferir as pessoas.
 
Não é fácil manter a calma nestes tempos de malucos espalhados no trânsito, nas ruas e até em casa, mas tu vais segurando as pontas aqui, correndo ali, e ainda tens tempo para oferecer o teu ombro amigo para mais pessoas.

Não, não é justo que alguém tão especial como tu passe por dificuldades, sofrimentos desnecessários e se desfaça em choro e dor, nada disso!
 
Vou dobrar os joelhos e pedir a Deus, que mande agora mesmo, um batalhão de anjos para fazer um círculo de protecção á tua volta, e muitos anjinhos te farão carinhos, os mais fortes, expulsarão todos os que te querem fazer mal.


Olha, tu és tão especial, que a partir de hoje, Deus vai mandar os anjinhos montarem acampamento na tua vida, e podes ter a certeza que a tua vida vai melhorar a cada dia.
Acredita. Podes ir fazendo planos para dias melhores, o que é bom vai ficar ainda melhor, e o que está sem solução, vai ser resolvido.
 
Lógico que isso não significa ausência de problemas, de dificuldades, porque as dificuldades modelam o nosso espírito, fazem-nos crescer, mas, a cada dia tu vais perceber que os problemas vêm e vão sem te afectar como antigamente.
 

Crê, usa a tua fé, afinal de contas, alguém tão especial como tu merece e vai ser muito feliz.
 

Obrigada ao autor



O bolo e o champagne estão aqui:



 

.: Porque hoje é o meu Aniversário ... :.

Parabéns, ...
Cheguei àquela etapa da vida, ...
... a meia idade, ... (48 Invernos)




Viver é tornar possíveis
os caminhos impossíveis
da felicidade da gente.
Cada um, sabe
aonde o levam
seus sonhos de vida,
mesmo que os caminhos
sejam ásperos e adversos.
As cinzas … leva-as o vento.
Grilinha