Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


.: Everiday is a Second Chance :.

seconlive.jpg

1990 - Aos 32 anos e após alguns exames médicos foi-me diagnosticada uma "Endometriose severa" ….

- Hummm, sabia lá eu o que era uma endometriose!! Só quis saber se tinha tratamento e qual? (cirurgia urgente)

Na consulta, a Ginecologista não me explicou o que era nem as consequências que poderiam advir desta doença. Infertilidade é uma das mais frequentes, mas essa eu já tinha superado com sucesso, pois engravidei 2 vezes (Com 23 anos tive a Ana Rosa e aos 25 anos tive o Tó).

A cirurgia “histerectomia com anexectomia bilateral” correu +/- bem (3 horas - cirurgia demorada porque as aderências já se tinham espalhado para o intestino).

Também aqui, na Maternidade Alfredo da Costa, ninguém me explicou o que se passou na cirurgia e eu pensei que tinha acabado o sofrimento desde os 13 anos de idade e que de agora em diante, mesmo numa menopausa precoce, o que me interessava era não ter dores.

Nos 8 anos que se seguiram, a vida correu-me às mil maravilhas; saúde, curso superior a bom ritmo, carreira profissional no auge, filhos e restante família com saúde e sucesso e eis que … chega o Dia de Reis de 1998.

06-01-1998 (Foi há 18 anos)

Foi há 18 anos, numa tarde do Dia de Reis, que me saiu a fava no "Bolo Rei da Vida" e iniciei a batalha contra as sequelas da Endometriose e a descoberta (uns anos depois) de que tinha Doença de Crohn, (nunca tinha ouvido falar neste “malfadado Crohn"!!!

Um internamento de quase 1 ano deu-me muita informação e formação para regressar de novo à vida, com uma ileostomia (sem intestino delgado) para cuidar diariamente e com uma lista enorme de fragilidades/consequências que esta incapacidade me provocaria, caso nesse ano sobrevivesse às 3 cirurgias, a uma dúzia de recaídas e ainda a uma septicémia. – deixei-as todas no passado. O que lá vai, lá vai  :( 

Tive e continuo a ter a sorte de ter uma família e amigos que nunca me deixaram ir abaixo psicologicamente, e ao mesmo tempo cruzaram-se no meu caminho; médicos, enfermeiros, auxiliares e delegados de informação médica que foram e continuam a ser o pilar, para que eu tenha uma melhor qualidade de vida, ao mesmo tempo que convivo com uma doença crónica e um sistema imunitário completamente debilitado.

Obrigada a todas as pessoas que têm feito parte, mais ou menos próxima, da minha vida e aos que continuam aqui ao meu lado e me ajudam a seguir em frente e pensar que: - Amanhã virá um dia melhor.

Parabéns a mim, pelos 18 anos, nesta 2ª oportunidade de viver.

Fernanda Grilo (Grilinha)

06/01/2015

.: Às voltas, com as voltas da vida :.

Esta noite (mais uma noitada sem dormir) dei por mim a pensar nas voltas que tenho dado à minha vida e cheguei à conclusão de que os anos 20, 30, 40, 45, 50, 55 foram aqueles em que fiz mais mudanças e constato que está a encurtar a distância entre elas.

Aos 20 "O Casamento" (23 e 25 o nascimento da rapaziada).

Aos 30 mudança de emprego e deixar a anterior área de estudo - Letras - "Línguas e Literaturas Modernas Francês, Inglês e Alemão" para ingressar na área de Economia (voltar ao 10º ano para fazer Matemática, Geografia e História porque o resto tinha equivalência)

Aos 33 ingressar na Universidade acabada de inaugurar as novas instalações a 50 metros do trabalho. O curso de Gestão de Empresas (5 anos) corria a um ritmo calmo e com um grupo de amigos e colegas fantástico (Rui, Ramalho, João Torres, Zé Lourenço, João Milheiro)

Aos 40 preparava a festa de formatura, o "Canudo de Drª" à vista, a carreira profissional ia de vento em popa. Tinha uma equipa de colaboradores magnifica (ZéZé, Filé, João, Susana I, Susana II e muitos mais que por lá passaram e estagiaram), a rapaziada crescia a olhos vistos (16 e 14 anos) e enchiam-me o coração de alegrias e mimos todos os dias.

No dia 6 de Janeiro de 1998 já não participei na festa do Dia de Reis da secção e ao entrar de urgência no Hosp dos Capuchos só viria a sair de lá 7 Meses depois. Com metade do peso (32 Kgs) e uma incapacidade para o resto da vida levantei a cabeça e decidi que tinha de lutar e seguir em frente. A vida estava do avesso e em fanicos mas com uma família a apoiar com 4 fortes pilares (engº, mãe, filha e filho).

A enorme incapacidade física, o encerramento da Empresa onde trabalhava (2002), a reforma por invalidez não planeada, o último ano do curso incompleto e sem objectivos de aplicação, ... ... ... O grupo de amigos, esse, continuava presente, e hoje cá estão a toda a hora a fazer-me companhia e recordar os bons momentos que passámos e crescemos juntos, com os livros e cadernos às costas depois de um dia de trabalho, as cábulas de rolinho infalíveis do Rui, a técnica de consulta do João Torres, a minha técnica do auricular, a técnica do Ramalho em ripar as folhas de teste do colega da frente ou de trás, o Zé Lourenço e o João Milheiro eram mais discretos e esperavam por algo que lhes caísse de pára-quedas na secretária.

Estas fotos tiradas na saudosa Feira Popular de Lisboa onde íamos, todos os anos festejar o final do ano lectivo da Faculdade, fez-me sorrir e voltar a esses tempos.

Aos 45 perdi a D. Grila que decidiu ir para junto do Sr. Grilo e deixou-nos a todos, cá em casa, com um vazio muito grande e a fazer-me muita falta a mim.

A bater à porta dos 50 chega a confirmação do Crohn e traz associada uma lista crescente de incapacidades que me corrói a cada dia.

Com os 55 à vista passo ao estado efectivo de "Sogra" e ganho um genro (já merecia um momento de enorme felicidade), mas algum tempo depois o meu rapaz levanta voo, pega nas malas e muda-se para o País das Tulipas - Lá se foi metade do meu coração que na hora da despedida me disse: "- Mãe, cuida-te que eu estou cá pelo Natal" :(

A cada Natal acrescento 1 ano à vida e à esperança de ter cá o rapaz, por breves dias, no meu colo. (faltam 26 dias)

Diz o ditado que "Recordar é Viver" e eu faço por isso, continuando a recordar os bons momentos do passado para ver se chego aos 60 e quem sabe, mais uma reviravolta.
Às voltas, com as voltas da vida!!!

.: Carta aberta aos amigos do Facebook :.

Bom Dia meus queridos amigos de companhia facebookiana e jogatina.
O esqueleto não dá tréguas e há alguns dias que a cervical e o ombro direito acusam o uso excessivo do rato (clicks a mais).

Vou manter-me aqui na vossa companhia até porque, vocês são os melhores terapeutas que encontrei nos últimos anos.

Quanto aos jogos:

FarmVille - Por agora vai-se manter activa.

CaféWorld - Vai ser encerrado para obras.

FishVille - Os aquários entram em quarentena.

PetVille - Vou dar o gato "Rosbife" para adopção.

YoVille - As casas da Yoville serão alugadas à época (vou lá receber as rendas 1 vez por mês  e podem deixar a mesa posta com chá e bolos).

Não é abandono do facebook, mas sim, um abrandamento em relação ao nº de horas que passo sentada frente a este PC a clicar.

A vocês que me lêem e acompanham, obrigada mais uma vez pela companhia e boa disposição que me transmitem.

Convosco não há depressão, stress ou fobia que se consiga instalar.

PS: Podem continuar a enviar gifts que eu retribuo sempre para ajudar quem continua a jogar

Fernanda Grilo (Grilinha)

Aos amigos bloguistas fica aqui a explicação da minha ausência do blog

.: Des/combinado :.

Ora combina ora descombina .... ora anota ora apaga ... ora marca ora desmarca .....

A minha vida é feita destes encontros/desencontros e por já me ter habituado a eles, passei a chamar-lhes de "descombinados".

Sempre que combino alguma coisa, raramente consigo que se cumpra à primeira marcação.


Os encontros/desencontros com os amigos dos blogs/facebook têm andado assim nos últimos anos e por isso se tornaram cada vez mais raros.


No Sábado, lá conseguimos realizar um desses descombinados numa tarde de muita tagarelice, gargalhadas e chá associados à alegria de rever os amigos e de conhecer pessoalmente mais alguns  daqueles que me acompanham, todos os dias e madrugada fora, do outro lado do ecrã.


O desencontro estava marcado para a doçaria  "Mel das Arábias" ali junto à Basílica da Estrela - Lisboa.


Às 15:45 recebo a sms da C.C. a dizer que já estava sentada à espera. O Taxista parecia que estava à espera de convite para o chá e não se despachava a andar com a lata. Cheguei 5 minutos depois


A festa foi tal que a Analycia, a CC e eu pusemos o salão de cabeça no ar para ver o que se passava com tanta algazarra.

Logo de seguida chega a Nanda que já andava a palmilhar Lisboa há algumas horas e desejosa por se sentar que quase se sentava à entrada da porta.

Lá continuamos no blá-blá-blá (4 gralhas a falar ao mesmo tempo). Foi um Deus nos acuda que nem os padres arrumadores que ajudaram a Analycia nos conseguiriam calar.

O Dragão Branco e o Peter dos ovos d'óiro não demoraram a chegar e depois das apresentações e cumprimentos começou finalmente o pedido dos chás.


O cadeirão onde me instalei (guardado pela CC antes que algum lampeiro o raptasse) era magnifico mas mesmo assim andei sempre de levante para espreitar as vitrinas e as prateleiras com tanta coisa que parecia ser tudo delicioso.



Provámos 3 chás diferentes (Menta e Hortelã, Lavanda e Cereja) acompanhados com lokum com baunilha, côco e pistacho .... uhmmmm uma delícia.


É obvio que chá de ervas e frutas com estes doces só poderia dar em conversa de morangos, abóboras, lavanda, galinhas de oiro, xp, e outros termos que só os farmrancheiros entendem (farmrancheiros é o nome dado a quem joga FarmVille no facebook).

- Convém dar aqui estas explicações pois muitos dos que me lêem não jogam este jogo e ainda podem pensar que me juntei a alguma seita esquisita


 

O chá e a conversa já ia a mais de meio quando a Leda e a Daphne deram à costa ... ops chegaram à doçaria, pois tinham estacionado o carro a 100 metros da porta mas decidiram seguir no sentido inverso da mesma e depois voltar para trás.


O Pedro das galinhas d'oiro é novato nestes encontros e temo que tenha ficado assustado com tamanha "cacarejisse" que lhe saiu pela frente. Espero que o Dragão Branco lhe diga que somos tagarelas mas lá no fundo .... pode ser no fundo da quinta  ..... somos boa companhia.


A noite já tinha chegado. O salão deveria encerrar às 18:00 horas e os 7 farmrancheiros com vontade de continuar ali pela noite dentro pois ainda havia tanto para dizer/ouvir e truques e dicas para trocar.


Fizeram-se algumas compras individuais de chá e bolinhos porque aquilo não podia ficar assim só por uma prova!!


Despedidas feitas à porta da Basílica com a promessa (abençoada) de novo desencontro para quando o Dragão regressar de viagem.


Para os curiosos mas sem coragem de entrar na rede social (facebook) e na Farmville, aqui fica uma foto da minha quinta no dia de hoje já que as plantações crescem e os animais mexem-se e amanhã estará ligeiramente diferente.



Analycia, CC, Nanda, Dragão, e Leda gostei de vos rever e ao Pedro das galinhas d'oiro e à Daphne adorei ter conhecido pessoalmente e um obrigada a todos pela tarde magnífica.


Para os mais Cuscos há ainda outras 2 reportagens no blog da Analycia e no blog da C.C.

.: Ice Tea e Coca Cola à hora do chá :.

Depois de marcar - desmarcar - remarcar lá conseguimos acertar o dia para um chá.

 

Naquele dia ainda não estava recuperada de um fim de semana com passagem pelo Hospital, 2ª feira consulta de Gastro e transfusão e  3ª feira à tarde havia a visita ao dentista para retirar os pontos, que afinal já tinham dado à sola.

 

A Analycia e a CC já estavam à minha espera e subiram para me acompanhar.

 

O Dr W. é uma ternura mas despachou-me num piscar de olhos que elas nem tiveram tempo de lhe tirar as medidas.

 

Descemos e ficámos as 3 (Grilinha, Analycia e CC) ali numa esplanada junto ao Marquês, com o solzinho de fim de tarde a fazer-nos companhia.

Depois de tanto falar, rir e gargalhar até nos esquecemos de beber o ice tea e as coca colas que ficaram mornas.

(imagem da internet)

Se o ambiente estava bom ficou excelente com a chegada do Visitante que só teve honras de nos cumprimentar e manter-se caladinho a ouvir o nosso blá-blá-blá até à hora em que terminavam os talões do parquimetro.

 

Foi cerca de hora e meia que passou num piscar de olhos.

As dores na coluna e nas pernas até foram dar uma volta ao Parque Eduardo VII enquanto estive sentada na esplanada com tão agradável companhia.

 

Venha de lá o bom tempo e mais alguma energia para vos fazer companhia. (até rimou)

Analycia, C.C. e Visitante obrigada pela vossa presença .... por me fazerem sorrir ..... por me terem dado o vosso carinho.

 

Meninas, obrigada pela prendinha surpresa e por enriquecer o meu vocabulário com mais um termo novo.

 

"Elidio = Lidl "que retribui com o meu velho conhecido "emilio=email"

.: Miminhos :.

É bom ter Amigos e saber mantê-los para que em certos momentos da vida nos reconfortem com palavras, afectos e miminhos como estes que a Equipa dos Blogs & Cª me presenteou






Obrigada pela flor linda e pernalta como eu e pelo postal cheio de palavras de conforto que sabem tão bem


Nota: Quanto aos cozinhados, o rapaz já se abasteceu de pizzas e massas italianas para 1 mês


Grilinha

.: Almoço/Lanche-Ajantarado :.

O Almoço anterior não teve post no entanto fica aqui uma foto do mesmo que decorreu em Fevereiro do corrente ano e uma vez mais a Fátima e o Rui foram os anfitriões.

 

 

O Almoço deste fim-de-semana decorreu no passado Domingo.

Almoço, Lanche e Jantar pois a companhia agradável, a conversa animada e a quantidade de comida era tal que dava para lá continuarmos o resto da semana.

 

A companhia agradável dos anfitriões e dos restantes convivas ;

A Fátima, o Rui, o João, a Cristina, o Zé e a Ana Bela. e a  completar o ramalhete lá estava o engº e a Grilinha.

 

Aqui fica uma pequena reportagem:

 

O almoço começou por volta das 13:00 horas no jardim com a mesa das entradas e as sapateiras cozinhadas pelo João que estavam uma delícia

Por volta das 15:00 horas passámos ao almoço propriamente dito e não conseguimos dar cabo do bacalhau com natas e espinafres passando pelo lombo, o perú, os filetes, etc etc

 

Com a agradável temperatura e o sol a brilhar o lanche seguiu no jardim com a conversa agradável até ao anoitecer

Enquanto os mais novos brincavam animadamente os pais colocavam a conversa em dia ao mesmo tempo que a mesa de doces ía fazendo a delicia de todos (em especial a minha que sou gulosa)

Já com a noite a refrescar chegou o momento das castanhas assadas e dos licores até ao champagne

Um brinde á Amizade que para alguns dos participantes já dura há mais de 20 anos

Ops .... cá estou eu "Grilinha" a aproveitar o sol magnifico da tarde

 

 

O assador das castanhas e a garrafa de champagne "veuve cliquot".

Esta delícia esteve para ser degustada já em Fevereiro mas lá se aguentou até ao Outono.

 

A anfitriã é uma exagerada nas quantidades de comida e no final do dia lá voltamos a casa com uns tupperwares (taparuéres) cheios de carne, peixe e bolos.

 

O rapaz que tinha ficado a estudar todo o dia deliciou-se com o jantar que lhe chegou a casa sem esperar.

 

Hoje recebi as fotos por email e já andam a sugerir novo jantar antes do final do ano.

 

Obrigada uma vez mais ao Rui, ao João e ao Zé por me terem aturado há alguns anos atrás ao longo do Curso de Gestão e ás suas mulheres Fátima, Cristina e Ana Bela que se integraram no nosso grupo como se fizessem parte dele desde o início.

 

Até ao próximo encontro.

Uma vez mais agradeço por ser uma previlegiada em ter AMIGOS assim.

.: net_amizade :.

Não consigo imaginar a vida sem amigos e de há 9 anos a esta parte não consigo imaginar os meus dias sem os net_amigos.



Os net_amigos dos blogs.

Os net_amigos dos emails.

Os net_amigos do MSN.

Os net_amigos espalhados pelos 4 cantos do Mundo.



Hoje recebi um carinho muito especial da saltapocinhas.



Obrigada pela disponibilidade e pela agradável surpresa.

A prendinha já está no desktop do meu portátil.



.: C. V. :.

Estes textos são a forma de guardar memórias que o tempo e a alzheimer podem apagar.
 
Não pensem que estou já a pensar em arranjar outra doença, mas .... pelo sim pelo não .... aqui fica o meu C. V. (Currículo da Vida)
 

Currículo da Vida

Quase nos 50 (cota).

 

Andou na escola até ao 25 de Abril de 1974 (com 16 anos faz o 9º ano – antigo 3º ano comercial na Patrício Prazeres em Lisboa).

 

As greves e saneamentos de professores aborrecem-na e decide ficar em casa a dar explicações aos miúdos lá da rua.

 

No Carnaval de 1976 apaixona-se a sério. No Verão começa a trabalhar numa fábrica de tabacos (a única no país).

 

Verão de 1979 casa com a paixão de 1976.

 

24 horas depois do casamento um acidente de viação acaba com a lua-de-mel, provoca uns arranhões, uns hematomas, os óculos partidos e atira com o mini 850 de estimação para a oficina.

 

1981 Nasce a Filha (uma boneca ruiva, linda).

 

1983 Nasce o Filho (um matulão moreno e vesgo como a mãe) no dia do aniversário do avô materno (Sr. Grilo)


1984 Perde o Pai numa suposta “simples” cirurgia á vesícula (afinal era um tumor no pâncreas)

 

1985 A paixão recebe o canudo de engº e finalmente partem em lua-de-mel (atrasada) até á Madeira.

 

A vida começa a ficar monótona e profissionalmente desorientada – (escriturária) não passa da “cepa torta”.

 

1987 - Adepta das matemáticas, mesmo depois de ter formação na área de letras, volta aos bancos da escola com pretensões a notas (money money) e um canudo.

 

Apaixonada pela vida e pelo conhecimento, luta por atingir os objectivos.

Nos anos que se seguem a tarefa não vai ser nada fácil (mãe, mulher, trabalhadora, estudante).

 

1989 Agarra uma proposta de emprego com hipótese de carreira na área de estudo onde tem demonstrado ser boa a (quase) tudo e verdadeiramente excepcional a (talvez quase) nada.

 

Fascinada com a nova carreira profissional não consegue ter o tempo necessário para a “paixão” nem para os “filhos” sendo compensada com a preciosa ajuda da Mãe.

 

1993 Entra na Faculdade (finalmente vai tirar o canudo).

 

Os anos passam e a vida é vivida a uma velocidade super sónica.

- A carreira profissional vai “de vento em popa”.

- Os filhos crescem a olhos vistos e são o seu orgulho.

 

1998 É o ano do tão desejado canudo “Dr.ª F G”.

 

Quando tudo parecia estar bem, surge um “terramoto”.

- A carreira profissional termina aqui.

- O curso fica pendente no último ano.

(amigos e colegas de curso que foram o seu apoio ao longo dos anos lectivos, são visita constante ao longo da doença).

- A família não quer acreditar no que lhes está prestes a acontecer.

- A vida presa por um fio.

- A paixão, os filhos e a mãe sobrevivem á notícia e rezam para que não seja chegada a hora do ajuste de contas com o S. Pedro.

 

1999 - Regressa a casa, terrivelmente debilitada mas disposta a viver um dia atrás do outro ao lado da família e agradecendo a Deus por lhe ter dado mais uma oportunidade terrena.

 

Os anos que se seguem estão recheados de muito sofrimento e experiências, boas e menos boas.

A família, em especial o acompanhamento dos filhos, ocupa-lhe a maior parte do tempo e deixa-a feliz.

A Internet passa de hobbie a fascinação.

O grupo de internautas intitulado “Adegueiros”, por se terem conhecido no fórum Adega, é ainda hoje a sua companhia diária em frente ao PC (+ de 100 mails diários de boa disposição, companhia, amizade e ajuda).

Hoje são amigos reais graças aos encontros que têm promovido ao longo dos anos.

 

2003 Sofre um duro golpe com a morte da mãe.

Inicia-se na blogosfera com o blog * * * Grilinha * * * (diminutivo do seu apelido “Grilo” que usa como nick desde 1999).

O leque de Amigos estende-se pelo Globo.

O cartão da Seg Social é subsituído pelo de Pensionista (reformada por invalidez).

 

Nas horas vagas e sempre que o esqueleto permite dedica-se a outros hobbies (ponto cruz, arraiolos, cozinhados e passeatas)

A força de viver e o amor da família têm-na acompanhado ao longo destes 9 anos.

 

2007 - Continua a comandar as rédeas da família, tem sempre dois ou três trabalhos manuais em mãos... escreve quase todos os dias no blog, visita as dezenas de blogs que tem na lista, comenta-os e está sempre pronta a dar uma mãozinha a quem lhe pede ajuda.

É social, não usa intelectualidades de palavras caras, gosta de música dos anos 60/70, não é esquisita.

Derrete-se (cora) com qualquer elogio, adora romantismos e manifestações sinceras de Amizade.

Possuidora de uma imaginação fértil, caprichosa e demasiadamente teimosa é assim a Grilinha.

.: Feliz Natal Amigo/a :.

Devemo-nos lembrar que nunca estamos sós ....


Alguém, especial estará sempre ao nosso lado, seja lá onde estivermos .... pois estará no nosso coração.


A ti, agradeço do fundo do coração, por me concederes a tua amizade e carinho, estejas perto ou longe, real ou virtual .....


Não importa a distância nem o tempo, agradeço por te ter conhecido.


Feliz Natal Amigo/Amiga


(imagem da net)