Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


.: Banho de Perfume

Acordar de manhã, tomar o seu duche, maquilhar-se e está toda janota para sair. Não se esqueceu de nada? Claro, o perfume. Mas eis que a mão descai ou o frasco se abre demais e pumba, fica-se mais cheirosa que uma rosa.

 

Mas isso não é problema, uma vez que cheirar bem sempre agradou a toda a gente. E vá de seguir para o trabalho. Se vai de carro, a única coisa pior que pode acontecer a quem passa por tão cheirosa flor é um passageiro ar perfumado que nos chega às narinas enquanto parados num qualquer sinal de trânsito.

O problema para os canais olfactivos coloca-se quando a dita flor perfumada segue em transporte mais público. Aí só há uma solução: procurar um lugar à janela, abri-la, mesmo sobre os olhares reprovadores de quem tem de apanhar com uns pingos de água. Mas isso ou a sufocação total.

Seguem depois para os empregos onde os coitados dos colegas têm de asfixiar sobre as nuvens de perfume exaladas, apertam a mão a amigos que têm mais tarde de se explicar aos respectivos conjugues sobre tão estranho odor e perturbam as faculdades mentais de quem fica inebriado pelos vapores odoríficos.

Mas os odores não se ficam por aqui. Há quem apenas use uma peça de roupa por ano, esquecendo-se que nos restantes 365 dias a guardou em naftalina, e faz todos os presentes sentirem uma pena profunda das traças que tiveram de viver naquele ambiente.

Como diz o ditado, nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

1 comentário

Comentar post