Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


.: Diário do Manel armado em dono de casa :.

Depois de ter colocado esta inscrição no muro em frente á minha casa decidi ausentar-me durante uma semana e o resultado foi este:




DIÁRIO DO MANEL ARMADO EM DONO DE CASA

Porque se queixarão as mulheres das lides domésticas se basta um pouco de organização?

Segunda-feira
Sózinho em casa. A minha mulher foi passar a semana fora. Ora aí está uma excelente mudança. Vou passar uma semana inesquecível, só eu.

Delineei um programa e organizei o meu horário. Sei exactamente a que horas me levantar, quanto tempo demoro na casa de banho e a preparar o pequeno-almoço.

Acrescentei o número de horas de que preciso para lavar a loiça, fazer limpezas, ir às compras e cozinhar. Fiquei agradavelmente surpreendido com o muito tempo livre que ainda terei.
Não percebo porque é que as mulheres se queixam da lida da casa se tudo isso exige tão pouco tempo. O segredo está numa boa organização.

Comi um bife ao jantar. Vesti-me a rigor, acendi uma vela e pus rosas numa jarra para criar uma atmosfera aprazível. Bebi vinho e fumei um charuto.

Há muito que não me sentia tão bem.

Terça-feira
Tenho de dar uma olhadela ao meu horário. Uns pequenos acertos.

Ao pequeno-almoço, verifiquei que o sumo de laranja natural tem um inconveniente. É preciso lavar sempre o espremedor.
Alteração possível: - fazer sumo para dias. Assim só tenho metade do trabalho.

Descoberta: posso aquecer salsichas dentro da sopa. Menos uma panela para lavar.

É claro que não pretendo aspirar todos os dia, como a minha mulher queria.
De dois em dois dias é mais que suficiente. O segredo está em andar de chinelos e limpar os pés no tapete da entrada. Quanto ao resto sinto-me optimamente.

Quarta-feira
Tenho a impressão de que afinal a lida doméstica leva mais tempo do que pensava. Preciso de repensar a minha estratégia.

Primeiro passo: comprei um saco de comida rápida. Não tenho de perder mais tempo com cozinhados. É um disparate perder mais tempo com a comida do que comê-la

A cama é outro problema. Primeiro é preciso sair de dentro do edredão, a seguir arejá-lo e por fim fazer a cama. Que complicação! Acho que não vale a pena fazê-la todos os dias, sobretudo porque nessa mesma noite voltarei a deitar-me. Parece-me inútil.

Deixei de fazer refeições complicadas. Comprei algumas pré-cozinhadas.

Quinta-feira
Acabou-se o sumo de laranja! Como é que um fruto aparentemente tão inocente causa tamanha confusão? É inacreditável! Vou passar a comprar sumo engarrafado pronto a beber.

Descoberta: consegui sair da cama quase sem a desfazer. Basta-me depois alisar ligeiramente a roupa. Claro que é preciso uma certa prática, e não me posso mexer muito durante o sono. Doem-me um bocado as costas, mas nada que um bom duche quente não possa resolver.

Deixei de fazer a barba todos os dias. É uma perda de tempo. Assim, também, ganho uns minutos preciosos que a minha mulher, como não tem de fazer a barba nunca perde.

Descoberta: não vale a pena usar um prato lavado de cada vez que como.
Lavar a loiça tantas vezes começa a dar-me cabo dos nervos.
Nota: cheguei à conclusão de que basta aspirar no máximo uma vez por semana.

Salsichas ao almoço e ao jantar.

Sexta-feira
Adeus sumos de fruta! As laranjas são muito pesadas.

Descobri o seguinte: as salsichas sabem bem de manhã. Ao almoço nem por isso. Ao jantar, nem vê-las. Salsichas mais de dois dias seguidos enjoam.

Descobri que posso comer a sopa directamente da panela.
Sabe ao mesmo.. nem tigela nem concha. Assim já não me sinto tanto como uma máquina de lavar a louça.

Já não lavo o chão da cozinha. Irritava-me tanto como fazer a cama.

Nota: acabaram-se as latas. O abre latas fica todo pegajoso!

Sábado
Que ideia é esta de me despir à noite se tenho de voltar a despir-me de manhã? Aproveito mas é o tempo para ficar mais um bocadinho na cama. E também não preciso de colcha, por isso a cama está sempre feita.

Estou a ficar cansado de ser criado de mim mesmo!
Que estranho. De repente, dei-me conta de que é o que a minha mulher me diz às vezes...

Hoje é dia de fazer a barba, mas não me apetece nada. Tenho os nervos em franja. Ao pequeno almoço, só as coisas que não seja preciso desembrulhar, abrir, cortar polvilhar, cozinhar sem misturar. Tudo coisas que incomodem.

Plano: comer directamente do saco em cima do fogão. Nem pratos, nem talheres nem toalha, nem nenhum disparate desses.

Tenho as gengivas um bocado inflamadas. Deve ser a falta de fruta, que é muito pesada para carregar. - se calhar, estou com princípio de escorbuto.

A minha mulher telefonou à tarde a saber se tinha lavado as janelas e posto a roupa a lavar. Desatei a rir meio histérico. Disse-lhe que não tinha tempo para essas coisas.

Há um problema com a banheira. Está entupida com esparguete. Também não estou para me chatear. Não me incomoda muito porque deixei de tomar duche.

Nota: Como directamente do frigorífico. Tem é de ser depressa. Não convém deixar a porta aberta muito tempo.

Domingo
Estou sentado na cama a ver televisão. Vejo pessoas a comer todo o tipo de iguarias. Salivo. estou fraco e rabugento.

Esta manhã comi do pacote de cereais. Não gostei muito.. Precisava de me lavar, barbear, pentear, fazer comida, limpar a casa ir às compras e uma série de outras coisas, mas não arranjo forças. Sinto que estou a perder o equilíbrio e que a vista me está a faltar.

Num último reflexo de sobrevivência arrastei-me até a um restaurante.
Durante uma hora, comi toda a espécie de pratos óptimos. Em seguida, fui para um hotel. O quarto é limpo, arrumado e confortável. Descobri a solução ideal para o governo da casa.
Não sei se a minha mulher já se terá lembrado disso.

(adaptação do texto "Diário de um dono de casa" - autor desconhecido)

.: Pétalas de Rosa, cor-de-rosa :.

Rosa, a minha menina
de tez salpicada de sardas
creceu da noite para o dia
voou ... ganhou asas

Menina se fez mulher,
percorre caminhos risonhos
em busca de mais aprender
realizando os seus sonhos

Nas asas do vento voou
para terras de sol tropical
de mar salgado o rosto molhou,
disse: - Adeus, até ao Natal.

Grilinha

.: 2º Aniversário :.


Oferta da net_@miga ANIMALEJA

Pois é, estamos de Parabéns! Este blog faz 2 anos e está prestes a atingir as 150.000 visitas.
Ao longo destes 2 anos tenho feito os possiveis por transmitir a minha forma de estar e de pensar contando sempre com a colaboração de todos os que por aqui passam.
Quero deixar aqui o meu agradecimento a todos aqueles que fizeram e continuam a fazer deste espaço a sua passagem diária, silenciosa ou com o seu comentário. Muito obrigada! Grilinha

.: Sogros :.

Os sogros, regra geral recebem bem o genro pois mais complicada é a relacão entre as noras.
Felizmente existem os "sogros perfeitos" onde os meus se encaixam.
São carinhosos, amáveis, prestáveis e sempre me encararam como a mulher que (também) dá amor ao seu filho, que um dia cresceu e saiu de casa.
Um bom relacionamento entre sogros e nora é proveitoso para todos.

Já não tenho pais e agora são os meus sogros que me ajudam a preencher parte dessa falta.
O meu sogro foi o "pai" sempre presente á minha cabeceira durante todos os dias dos meus longos internamentos.

Hoje cabe-me a mim cumprir o papel de "filha/nora" e acompanhá-lo neste dia complicado da sua vida.
Ao meu sogro, desejo que a cirurgia seja breve e a sua recuperação rápida.
Estarei ao seu lado sempre que for preciso.

Um beijinho da nora Fernanda

.: Quem parte leva saudades, quem fica saudades tem ... :.

align=justify>face=verdana size=3>align=right src=http://blogdagrilinha.no.sapo.pt/imagens%20de%20textos%20no%20blog/rosa_saudade.jpg>Lúcia nasceu na aldeia e ainda jovem veio para a cidade grande á procura de melhor qualidade de vida.
Moça alta, loira de olhos azuis e pele branca chamava a atenção de quantos por ela passavam na rua.

Arranjou emprego numa casa de Drs e só de lá saiu, no dia do seu casamento.
Lúcia aspirava a ter uma vida melhor e com jeito para o negócio decidiu montar uma "banca de bolos" junto á estação fluvial da Praça do Comércio.

Durante mais de 20 anos por ali passaram milhares e milhares de pessoas entre uma margem e outra do Tejo, que todos os dias a cumprimentavam e lhe compravam um bolo ou umas peças de fruta.

Lúcia trabalhava todo o ano, tirando apenas uns dias de férias em Agosto para acompanhar a família (marido, filha, irmãos, cunhados, sobrinhos) na festa da sua aldeia.
A extinção abrupta daquele local de venda ambulante foi um choque demasiado forte para o "aneurisma" que a acompanhava em silêncio.
Há 11 anos que Lúcia lutava para se manter viva.
Hoje vai a enterrar e com saudades desejo que a minha tia Lúcia descanse em Paz.












.: Dia Mundial do Não Fumador :.

align=left src=http://blogdagrilinha.no.sapo.pt/imagens%20de%20textos%20no%20blog/tabaco.bmp>align=justify>face=verdana size=3 color=#003399>Comemora-se hoje o Dia Mundial do Não Fumador.

Este dia é importante para lembrar as pessoas que fumar prejudica a saúde, causa muitas doenças sobretudo ao nível do sistema respiratório e circulatório.

O cigarro é constituído por alcatrão, nicotina e outros produtos irritantes, para além de produzir um gás tóxico — monóxido de carbono — que se liberta durante a combustão.

Fumar, está provado que faz mal á saúde.
Ser contra ou a favor cabe a cada um tomar a opção.
Não condeno nem defendo quem fuma, assim como não o faço a quem tem outros "vícios" .

O tabaco é um dos maiores inimigos da saúde (mas não é o único).
O ideal é não começar a fumar e optar por fazer desporto ou outra actividade lúdica, as manifestação artísticas fazem bem ao organismo, à mente e ao espírito.

Saúde para todos com um Mundo menos poluido (não é só o tabaco que faz mal!!)

.: Dia de S. Martinho :.

align=justify>face=verdana size=3>Segundo reza a lenda, num dia frio e tempestuoso de Outono, um soldado romano, de nome Martinho, percorria o seu caminho montado no seu cavalo, quando deparou com um mendigo cheio de fome e frio.
O soldado, conhecido pela sua generosidade, tirou a sua capa e com a espada cortou-a ao meio, cobrindo o mendigo com uma das partes.
Mais adiante, encontrou outro pobre homem cheio de frio e ofereceu-lhe a outra metade.
Sem capa, Martinho continuou a sua viagem ao frio e ao vento quando, de repente, como por milagre, o céu se abriu, afastando a tempestade. Os raios de sol começaram a aquecer a terra e o bom tempo prolongou-se por cerca de três dias.
Desde essa altura, todos os anos, por volta do dia 11 de Novembro, surgem esses dias de calor, a que se passou a chamar "Verão de S. Martinho".
align=right src=http://blogdagrilinha.no.sapo.pt/CAROCHAS/114.jpg width=200>
No dia de S. Martinho vai á Adega e prova o vinho.


No dia de S. Martinho assa as castanhas e prova o vinho.










.: Do Virtual ao Real ... :.

Para muitos, a passagem do virtual para o real é bastante dura.
Para outros, impossível.
- Lembro-me dela, que não era ela, era ele.
- Lembro-me dele que não tinha charme algum, embora fosse um verdadeiro Don Juan no virtual. Sabia lidar muito bem com as palavras escritas.

- Lembro-me de toda aquela falsa alegria que vários deixaram transparecer durante anos através das letras e que, no real, rolou ladeira abaixo.
- Lembro-me de opções sexuais que não eram verdadeiras e de amizades que não foram sinceras.

- Lembro-me daquela loura fatal, sexy, sensual que enviava as fotos causando frisson em muitos.
Trinta, trinta e cinco anos, talvez?
Não. Já era avó e beirava seus setenta anos.
As tais fotos eram de cerca de trinta anos atrás retocadas por um super photoshop.

- Lembro-me de críticos literários.
Viviam de um sonho que possivelmente jamais concretizaram.

- Lembro-me dos exaltados, ferozes, provocadores.
Verdadeiras ovelhinhas no real.

- Lembro-me de profissões virtuais.
Médicos, Advogados, Engenheiros.
Seres reais que nem sequer tiveram a oportunidade de passar na porta de uma faculdade.

- Lembro-me dos donos da verdade virtual, apenas virtuais.
No real, não tinham opinião a respeito de nada.
Perdiam-se dentro das suas próprias dúvidas.

- Lembro-me dos intelectuais, vários, a maioria de "trazer por casa".
- Lembro-me de amores que jamais passaram para o real pois no virtual já eram impossíveis.
Se bem que necessários.

- Lembro-me do caracter dos seres virtuais.
Como distinguir os bons e os maus?

No virtual, ninguém nunca foi de ninguém e quando chegaram ao real, poucos foram de alguém.

- Lembro-me dos formadores de opinião e das vaquinhas de presépio.
- Lembro-me da unanimidade virtual, talvez a única coisa real.
- Lembro-me de enigmas. É assim ou assado? É falso ou verdadeiro?
- E lembro-me dos especialistas em enganar, trapacear, provocar.

- Lembro-me dos ofendidos, feridos que sangravam virtualmente até não poder mais.
- Lembro-me dos ódios e intrigas. Quem seria o vilão e a vítima? Jamais saberei.
- Lembro-me de mim, no meio de um tiroteio invisível ou de um carinho duvidoso.
- Lembro-me da ofensa, da necessidade de denegrir a imagem de pessoas que incomodavam a outras pelo simples facto de se destacarem virtualmente.

- Lembro-me, finalmente, que o virtual jamais conseguiu ser real e que o real vivia a anos luz do virtual.

Depois de lembrar-me de tudo isto chego á conclusão de que apenas sei que nada sei sobre o mundo virtual, assim como ninguém sabe.
(autor desconhecido - recebido por mail)

.: Parabéns Ana Rosa :.

Celebra-se hoje a data do teu nascimento

A surpresa de não saber antes o sexo do bebé gerou um factor surpresa incrível, e consequentemente uma alegria muito grande porque o meu desejo era ter "uma menina".

O dia 7/11/1981 é o registo do momento inesquecível na maravilhosa tarefa de ser mãe.

Parabéns FILHA pelos 24 anos.