Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

* * * Grilinha * * *

Aqui escrevo de tudo um pouco, principalmente, de tudo o que me vai na alma.

O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


.: Emigração Jovem Qualificada versus País Pobre Desmoralizado :.

No final de 2011 o Primeiro Ministro disse na Comunicação Social que os professores desempregados deveriam optar pela emigração. (façam as malinhas e deixem filhos, maridos ou mulheres por cá e "abandonem a zona de conforto")

O Ministro Miguel Relvas apoiou esta ideia e reforçou a mesma indicando África e Brasil como boas opções para emigrar e que iria ser criado um Gabinete de Apoio à Emigração (Gabinete do xuto-no-traseiro daqueles que lhes podem fazer frente e atrapalhar as ideias de um Governo Oligarquista).
Em Janeiro foi a França que veio recrutar Médicos e Enfermeiros, esta semana foi a Alemanha que decidiu recrutar engenheiros .....

 

- Um País sem jovens e sem gente qualificada é um País pobre e sem iniciativa.

- Um País de famílias separadas por falta de apoio dos seus governantes é um País desmoralizado e descrente.

- Um País de velhos, doentes e incapacitados é um País caduco e moribundo.

- Um País que pede sacrifícios aos grupos mais vulneráveis (classe trabalhadora e reformados) e proteje os ricos é um País cruel e insensivel.   

 

Durante 30 anos trabalhei e lutei pelos meus sonhos, sempre com um sorriso nos lábios.

Pensava chegar à idade da reforma e poder descansar feliz, com os filhos profissionalmente e pessoalmente realizados, sem ter que depender de ninguém.
Consegui proporcionar aos meus filhos, formação e educação superiores. Sacrifiquei-me e sacrifiquei-os dedicando-me à carreira profissional 12/14 horas por dia a pensar no Futuro/Velhice sem sobressaltos.

 

A filha, há 10 anos que trabalha pelos 4 Continentes e só não se fixou por lá, porque o desejo de constituir família falou mais alto, mas volta e meia lá vai ela, qual caixeira-viajante, facultando mão-de-obra altamente qualificada num País estrangeiro.

 

O filho, há alguns anos que vê o núcleo de amigos a desmembrar-se pelos 4 cantos do Mundo e, se até agora nunca lhe faltou emprego, já a evolução profissional tem sido barrada pela "conjuntura actual".

Bastaram 2 meses para que um País do Centro/Oeste Europeu lhe abrisse as portas facultando um contrato de trabalho com condições iguais a quem executa tarefas iguais, apoio na legalização e todo o acolhimento necessário a quem "cai de pára-quedas com armas e bagagens" num País estrangeiro.

 

Por cá, ficou a família desmembrada e um silêncio que rói por dentro o coração e a alma.

Eu sei que as novas tecnologias nos ajudam a matar saudades mas faz-me falta os seus beijos e abraços, as confidências diárias, o apoio de um filho sempre presente, a companhia ao pequeno almoço, ao jantar e no chá com torradas antes de deitar ... a ele faz-lhe falta a presença da família.

 

Aos Holandeses só me resta pedir-lhes que tomem conta do "meu menino" e que podem contar com um excelente profissional e um cidadão cumpridor.

 

Quando me tocam nos filhos, sou vingativa e tenho mau-feitio e por isso mesmo aos Governantes deste País desejo que os filhos lhes causem em dobro, ... triplo, a dor e a saudade que eles me estão a proporcionar hoje a mim.

 

Grilinha

20 Fevereiro 2012 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.