O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


16
Dez 17

60anos.jpg

 

Os 60 Anos já cá estão - “Sexagenária”

 

- 60 Anos de vida com memórias doces, muito doces, amargas e agridoces.

- 60 Anos de vida em que aprendi a gostar de viver mas principalmente a gostar de quem gosta de mim … A Minha Família e os meus Amigos

 

Fernanda Grilo (Grilinha)

* * Grilinha * * às 00:21

28
Out 16

image-20161014_193418.jpg

         

A Diana começou a palrar bem cedo e a dizer por "meias palavras" o nome das coisas e a cantarolar a letra das músicas infantis.

Sabe contar até 10 e conhece os números todos, diz o “a e i o uuuu”  e conhece tb as letras.

Diz o nome das partes do corpo humano e aponta certinho (na mão, não esquece a “unha”), imita o som dos animais e sabe associar o som à imagem do animal, mas o seu fascínio é a música e a dança que seleciona no seu tablet ou nos telemóveis (MÓ - como ela diz) das duas avós.

Passa o dedinho nos ecrãs para um lado ou para o outro à procura do icon do "Youtube" e ali fica ela a seleccionar os seus vídeos preferidos até acabar a bateria do Mó, que vai logo direitinha ao carregador para ligar.

Há uma semana e pouco foi operada aos ouvidos para colocar os tubinhos (1º cirurgia geral com 23 Meses  ) a rapariga passou a ouvir melhor (digo eu!!) e está uma fala barato que ninguém a consegue parar.

 

Agora que aprendeu os nomes da família é uma alegria ouvi-la Pai Rui, Mãe Rosa, Tio Tó, Bebé Nana (Diana) ... pato Nana (sapato da Diana) caco Nana (Macaco da Diana) Zaco Nana (Casaco da Diana) Vor (Se Faz Favor) Gada (Obrigada) e assim por aí fora :) mas Pão, Água, Pápa, Uva, sempre disse perfeitamente

Não sei se é coincidência, mas desde a cirurgia já diz palavras seguidas com sentido de frase e nota-se que deve achar estranho ouvir o som de forma diferente, e então repete várias vezes o que lhe dizemos.

 

Um dos seus melhores episódios passou-se em Agosto durante o meu internamento.

- O telemóvel tocou e atendi a pensar que era a minha filha :) mas do outro lado estava uma vozinha doce a dizer:

- avó avó bla bla bla pai Rui bla bla bla .e ali estivemos alguns minutos (deu tempo para eu cantar com ela o “Finger Family” - Little finger where are you, here I am  lá lá lá …(as duas doentes que estavam a conversar comigo ficaram admiradas como ela com 20 Meses estava sozinha a ligar-me).”

Percebi que a rapariga tinha apanhado o TM da mãe a jeito, foi aos contactos e zás, viu a minha foto, e ligou.

Na cozinha o Pai e a Mãe ouviam-na a falar na sala e a dizer avó avó ..... quando chegaram ao corredor é que deram conta que ela estava a falar comigo e foi uma gritaria  para lhe tirar o TM da mão 

 

- Hoje falou comigo do TM da mãe e lá andava ela pela casa fora com o TM no ouvido a contar o que foi o jantar “rroz e chicha” blablabla ... o migo (amigo) blablabla …!!!??? .. dava gargalhadas e corria pela casa para não dar o TM ao Pai.

 ... no final da conversa ...

Avó – Vai dormir, até amanhã Diana, beijinhos 

Diana – Nhã …. (e desligou)

* * Grilinha * * às 02:06

09
Out 16

Tudo o que uma mãe faz é para o bem dos seus filhos.

Determinar regras e obediência às mesmas, significará ter no futuro adolescentes e adultos bem-sucedidos, mais independentes e conscientes dos seus direitos e deveres.

Hoje podem reclamar e chamar-nos de "MÃE CHATA" mas "NÃO FIQUE CHATEADA" porque um dia eles vão agradecer-lhe.

Cá em casa a avó Alice Grilo dizia: - O trabalho do menino é pouco, mas quem não o aproveita é louco!! -

Com o seu jeitinho pedia à Ana Rosa e ao António para a ajudarem nas tarefas da casa. Hoje, já adultos, sabem fazer tudo e dão valor ao trabalho dos outros.

Esta sequência de regras, com texto e humor Brasileiro, podem dar uma ajuda a algumas mães ou mulheres de maridos que são filhos de "Mães-não-chatas" :(

 

Regra 1 

01.jpg

 

Regra 2

02.jpg

 

Regra 3

03.jpg

 

Regra 4 

04.jpg

 

Regra 5 

05.jpg

 

Regra 6 

06.jpg

 

* * Grilinha * * às 22:18
estou:

06
Jan 16

seconlive.jpg

1990 - Aos 32 anos e após alguns exames médicos foi-me diagnosticada uma "Endometriose severa" ….

- Hummm, sabia lá eu o que era uma endometriose!! Só quis saber se tinha tratamento e qual? (cirurgia urgente)

Na consulta, a Ginecologista não me explicou o que era nem as consequências que poderiam advir desta doença. Infertilidade é uma das mais frequentes, mas essa eu já tinha superado com sucesso, pois engravidei 2 vezes (Com 23 anos tive a Ana Rosa e aos 25 anos tive o Tó).

A cirurgia “histerectomia com anexectomia bilateral” correu +/- bem (3 horas - cirurgia demorada porque as aderências já se tinham espalhado para o intestino).

Também aqui, na Maternidade Alfredo da Costa, ninguém me explicou o que se passou na cirurgia e eu pensei que tinha acabado o sofrimento desde os 13 anos de idade e que de agora em diante, mesmo numa menopausa precoce, o que me interessava era não ter dores.

Nos 8 anos que se seguiram, a vida correu-me às mil maravilhas; saúde, curso superior a bom ritmo, carreira profissional no auge, filhos e restante família com saúde e sucesso e eis que … chega o Dia de Reis de 1998.

06-01-1998 (Foi há 18 anos)

Foi há 18 anos, numa tarde do Dia de Reis, que me saiu a fava no "Bolo Rei da Vida" e iniciei a batalha contra as sequelas da Endometriose e a descoberta (uns anos depois) de que tinha Doença de Crohn, (nunca tinha ouvido falar neste “malfadado Crohn"!!!

Um internamento de quase 1 ano deu-me muita informação e formação para regressar de novo à vida, com uma ileostomia (sem intestino delgado) para cuidar diariamente e com uma lista enorme de fragilidades/consequências que esta incapacidade me provocaria, caso nesse ano sobrevivesse às 3 cirurgias, a uma dúzia de recaídas e ainda a uma septicémia. – deixei-as todas no passado. O que lá vai, lá vai  :( 

Tive e continuo a ter a sorte de ter uma família e amigos que nunca me deixaram ir abaixo psicologicamente, e ao mesmo tempo cruzaram-se no meu caminho; médicos, enfermeiros, auxiliares e delegados de informação médica que foram e continuam a ser o pilar, para que eu tenha uma melhor qualidade de vida, ao mesmo tempo que convivo com uma doença crónica e um sistema imunitário completamente debilitado.

Obrigada a todas as pessoas que têm feito parte, mais ou menos próxima, da minha vida e aos que continuam aqui ao meu lado e me ajudam a seguir em frente e pensar que: - Amanhã virá um dia melhor.

Parabéns a mim, pelos 18 anos, nesta 2ª oportunidade de viver.

Fernanda Grilo (Grilinha)

06/01/2015

* * Grilinha * * às 23:55

16
Dez 13

 

 

Envelhecer é inevitável e faz parte do crescimento natural e contínuo da vida.

Neste processo evolutivo acontecem momentos de abrandamento aos quais lhes chamamos “etapas/crises”.

Ao longo da vida as “etapas/crises”, pequenas ou grandes, traumáticas ou naturais, sucedem-se e encaixam-se num crescente de aprendizagem e saber.

 

Crise da puberdade – se tive nem me lembro!!

Crise da adolescência – lembro-me que dei algumas (bastantes) dores de cabeça à minha mãe

Crise dos 20 – nem sei se a tive porque foi a melhor fase da minha vida (casamento e filhos)

Crise dos 30 – uhmmm ...... bem ..... ..... nem sei por onde começar, pois … … só me lembro que a cada dia que passava achava que o Mundo ia ser meu (família, curso e carreira de vento em popa).

Crise dos 40 – esta chegou aos 20 dias depois dos 40 (6/1/1998) tipo, bomba atómica!!

Crise dos 50 – saltou definitivamente para a crise dos 70 (sofá, robe, pantufas, internet, chá e bolachas)

Segundo dizem os entendidos, saltei a “etapa/crise” da meia-idade (40-60), a fase da consciência do próprio envelhecimento e da existência de limites da vida.

 

Já realizei muitos dos meus sonhos (família, filhos, carreira).

Os meus pais já se foram e os filhos já trilham pelo seu próprio pé os caminhos da independência.

Deparo-me agora com o factor tempo ou falta dele.

- “ter tempo para isto ou para aquilo”

A minha relação com o “tempo” não está a ser nada fácil e os cabelos brancos, as rugas e a frágil condição física são a prova disso.

Será sempre uma incógnita saber quando atingimos a “meia-idade”

- Quem é que sabe onde fica o meio-da-idade??

- Os 56 anos chegaram hoje e o futuro a Deus pertence.

Deixei de dizer:

- Amanhã eu vou ou Depois de Amanhã eu faço.

Passei a dizer:

- Hoje não consigo, talvez amanhã lá vá .... (mas sempre acreditando que chego lá - ao amanhã)

 

Obrigada família, amigos reais e net_amigos, por me fazerem companhia ao longo destes anos, pela paciência e apoio que me dão.

Grilinha (16/12/2013)

* * Grilinha * * às 22:53
estou:


Fernanda Grilo
(Grilinha)
16/12/1957
Lisboa-Portugal
As Visitas
desde Nov/2003

Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


comentários recentes
Olá.Quando vi no mail "Grilinha", voltei a sorrir....
Olá Maria AraújoObrigada por te teres lembrado de ...
Boa noite.Há minutos, enquanto jantava, lembrei-me...
Gostei muito de ler a tua opinião! Um beijinho
http://meninadeangola.blogspot.com (http://meninad...
Ah ! Ah ! Ah !Adorei as regras.
Deixo o link para o meu Facebook:https://www.faceb...
Olá AméricoFiquei muito satisfeita de te voltar a ...
Posts mais comentados
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar