O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


27
Mai 08

Dr House à Portuguesa

(profissionais de medicina carregados de narcisismo, mau-humor, cepticismo e distanciamento dos pacientes ...)

 

Os doentes não são ignorantes e sabem que têm direito a ser tratados com dignidade.

 

(Episódio I) Setembro/Outubro 2006

 
Em finais de 2006 fui internada no HSAC para realizar a 1ª CPRE depois de várias Ressonâncias, TACs, Ecos, etc etc.
 
Depois de 2 dias de internamento vim passar o fim-de-semana a casa e na 2ª feira seguinte quando me apresento para ser internada e seguir para a radiologia, não tinha a cama disponível. Fiquei a aguardar, por indicação da Sr.ª Administrativa.
 
O Dr. X. (deveria ser o Director de serviço nesse dia) ao encarar comigo na sala de espera, nem me deu a salvação e dá de imediato ordem no Serviço Administrativo para eu não ser internada.
 
- Para fazer uma CPRE não é necessário internamento!!
 
Como os nossos hospitais Lisboetas estão quase todos instalados em colinas, escusado será dizer que andei para baixo e para cima, entre serviços, com o saco da roupa atrás e sem saber o que fazer.
 
Na Radiologia não me faziam a CPRE sem estar internada e no Serviço a minha médica não conseguiu demover o Sr. Dr. X.
 
O Radiologista recusou-se a efectuar a CPRE, mas foi-me dito que afinal eram necessários mais alguns exames pois aqueles eram inconclusivos para se avançar para uma CPRE.
 
Voltei com o saco para casa (eu própria me recusava a fazer a CPRE naquele estado de nervos) e durante mais alguns meses repeti os exames.
 
Uns meses depois fiz a 1ª CPRE noutro Hospital (5 dias de internamento). (+ aqui)
 
A 2ª CPRE, 6 meses depois (4 dias de internamento). (+ aqui)
 
No HSAC o Dr. X. Entendeu (ele lá sabe porquê) que depois de uma anestesia geral deveria regressar a casa, talvez de transportes públicos, quem sabe??
 
Sr. Dr. X nesse dia desejei-lhe o triplo daquilo que me fez passar e que quando um dia for anestesiado o obriguem a ir a pé... de preferência em passo de corrida até casa.
 
(Episódio II) Maio 2008
 
Este fim-de-semana não fugiu á regra de tantos outros e lá fui parar ás Urgências do Hospital Central.
 
Sempre que vou parar àquele Hospital e não está a minha médica de serviço, fogem todos de mim como o “diabo da cruz”.
 
Eu sei que tenho uma situação complicada, mas eu explico o que tenho e o que devem fazer.
 
Nem mesmo assim se atrevem a introduzir uma sonda numa fístula semi-encerrada para a colocarem funcionante.
 
No Domingo (11 horas) fui transferida para o Hospital da minha área.
Com os balanços e curvas na ambulância, lá voltaram os vómitos.
 
Para chegar á enfermaria daquele serviço não é fácil:
- O elevador não comporta macas de ambulância (demasiado compridas) e foi reparado há poucos meses, mas nenhuma alminha se terá lembrado de abrir um roço na parede e colocar uma caixa de elevador mais comprida.
Depois de atravessar outras enfermarias e um elevador mais distante, percorrem-se mais alguns metros em curva-contra-curva entre enfermarias e corredores até chegar á rampa de acesso a esse bendito elevador (pequeno).
Havia ainda que descer 2 rampas, 1 corredor, 4 portas de “guilhotina” daquelas que as macas abrem de empurrão mas quando voltam a apanham pelo meio.
 
Escusado será dizer que quem vai deitado fica em total dormência que já nem dá pela 2ª pancada.
Para aceder á enfermaria das mulheres há que subir uma íngreme rampa de tapete de borracha que provoca aderência ás rodas da maca e um turbilhão a quem lá vai deitado.
A meio da rampa um dos auxiliares grita:
- Segura aí em cima que estou a escorregar.
Pensei logo:
- É desta que acabam comigo e me estatelam lá em baixo contra a parede.
 
A enfermeira A. informou que não havia camas vagas no serviço e que tinha de voltar a descer a rampa para o serviço do SO
 
Depois de alguma troca de galhardetes entre maqueiros e enfermeira, lá voltei a descer a tal rampa e fui encaminhada para uma cama numa das enfermarias de Homens.
 
A enfermeira de serviço naquele Domingo achou que fazia bem utilizar aquelas 2 enfermarias vagas (8 camas), mesmo sendo na ala dos Homens.
 
A minha médica estava de serviço e foi a minha sorte.
A desobstrução foi efectuada e durante a tarde e noite de Domingo a ileostomia voltou a funcionar e os vómitos pararam.
 
Na 2ª feira de manhã levantei-me cedo por me sentir melhor e aguardava a chegada da minha médica quando me apercebo que o Dr. Z andava a passar de um lado para o outro entre o SO e aquelas enfermarias.
 
A enfermeira Dê e a Chefe foram chamadas á atenção porque não deveriam ter tomado uma decisão daquelas ultrapassando hierarquias.
Por mais que a enfermeira lhe explicasse que:
- Era Domingo; as colegas da enfermaria de mulheres não tinham onde deitar as doentes; havia ali 2 enfermarias e 8 camas vagas; e achou que estava a fazer bem ocupá-las sem prejudicar o serviço.
 
O Sr. Dr. Z continuava a insistir no mesmo e disse alto e bom som:
- Não quero mulheres aqui nestas enfermarias e se não há vagas lá em cima, ficam numa maca no corredor.
 
Assim que a minha médica apareceu, disse-lhe que estava bem e que me desse alta já.
Assim o fez pois o meu estado já não inspirava cuidados de maior.
 
 
Os Srs Drs têm memória curta .... eu lembro-me de quando há 10 anos foi operada uma familiar de um deles naquele Hospital e a colocou no SO e fechou todas as cortinas.
A sua família foi visitar a doente sem ser incomodada com os restantes doentes e familiares destes. (por acaso só lá estava eu há largos meses a fazer figura de esqueleto vivo).
 
Gostaria de ver a sua familiar numa maca no corredor e a sua família á volta dela no meio da confusão.
 
Sr. Dr. Z a sua larga experiência já lhe deveria ter feito perder esse ar sisudo e frio e perceber que não é só os outros que adoecem.
Talvez eu ainda o vá visitar numa maca no corredor de um qualquer Hospital. (cá está o meu mau-feitio em acção)
 
Sr. Dr. Z o seu comportamento ontem foi de uma enorme falta de respeito pelos doentes e pelas profissionais de enfermagem que estão ali para minimizar o sofrimento dos doentes e não para gerir os números das estatísticas.
A partir de agora respondo-lhe da mesma moeda:
- Quando nos cruzarmos nos corredores fazemos de conta que somos 2 estátuas de pedra (surdas e mudas)
 
Dificilmente aquele serviço volta a ter um Director como o Dr. Balcão Reis que além de excelente médico e me ter salvo a vida é um Homem com um coração e uma ternura do tamanho do Mundo.
 
Resta-me agradecer ás enfermeiras daquele serviço e á minha médica a disponibilidade e cuidado com que sempre me têm dado socorro nas horas de aflição ao longo destes 10 anos.
 
Fernanda Grilo
* * Grilinha * * às 17:05
estou: furibunda

Não sei o que te dizer...

Um Beijo Grande, Mil Beijos Grandes, verdadeiros (à moda antiga, quando as pessoas se saudavam com o coração e não por polimento social).
Ena Rot a 27 de Maio de 2008 às 17:42

Obrigada amiga

Ja estou a recuperar

Beijinhos
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 20:21

O obstectra que me seguiu na gravidez dos meus dois filhos, diz-me sempre: Quando precisar de um médico de uma determinada especialidade, telefone-me sempre e pergunte se conheço algum bom, porque os médicos são como os pedreiros, carpinteiros, motoristas, etc. às os bons e que gostam e sabem aquilo que fazem e á aqueles que realmente escolheram a profissão errada.

Mas o mais importante é que já estás melhor.
Bjs e boa recuperação
mimi a 27 de Maio de 2008 às 17:44

A tua médica tem toda a razão.

A minha médica de cirurgia daquele serviço e a restante equipa são competentes e muito bons médicos.

Aquele médico tb é bom mas na sala de operações pois como gestor hospitalar não dá uma para a caixa.

Beijinhos e obrigada
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 20:52

Não é nada comigo, e até eu estou FURIBRUTA (com diria a outra!). Eu sei que vai dizer que ao longo destes anos todos, já se cansou de tanto reclamar. Porém, ainda assim, deveria usar os meios formais e legais para apresentar queixa por todas as vezes em que não forem respeitados os seus direitos como utente. Não é só pagar! Afinal que fazem aos impostos? Depois ficam todos ofendidos quando os utentes preferem ir a Espanha, a Cuba ou à Cochichina!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Quanto ao seu esqueleto espero que recupere, rapidamente.
Com descanso!
Jocas fofas e Xi bem fofinho
Pinguim a 27 de Maio de 2008 às 17:46

Olá net sobrinha

Desta vez eu não podia reclamar porque ele não estava a falar directamente para mim mas sim para as enfermeiras.

Tb não mandou 8que eu ouvisse) colocar-me no corredor.

Eu ouvi ele dizer que se não havia lugar na enfermaria de mulheres, então ficavam numa maca no corredor.

Garanto-te que a mim ele não mandava pois eu já estava sentada na cama pronta a saltar-lhe em cima e aí eu participava dele.
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 20:54

Eheheheheh!!! Mesmo doente aí está a minha net_tia cheia de garra
Jocas fofas
Pinguim a 3 de Junho de 2008 às 11:26

que deambulações! Nem dá para acreditar ! Mas é bom que todos nós divulguemos esta desumanidade dos Hospitais!
E tu? Como te sentes agora? Muito cansada calculo! Espero que descanses e ganhes forças muito rapidamente pois nós todos "dependemos" de ti......"""
Beijo muito grande e as melhoras!
ligeirinha a 27 de Maio de 2008 às 18:02

Olá amiga

Eu estou melhor.

Não deixo passar em branco estas injustiças e ele ainda me vai ouvir.
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 20:55

Ó HOMÓNIMA, tb num fazes outra cousa senão reclamar dos hospitales, A Pikena tá no Portugal!!!!!!!!!!!!!
A madame se quer tratamento VIP, é como diz aqui a amiga mais acima
vá a Cuba, á Cochichina, vá por internet, de táxi, .......AGORA A PORTUGAL?
Lamento, temos pena....a moçóila nem queira saber as atrocidades que nós cometemos a certos doentes LOLOLOL

Bom adiante.... espero que o esqueleto se mantenha de pé, eu desculpo-a pelo atraso da encomenda que me ecomendou, tá desculpada.......mas continuo a dizer que num tá esquecida, só que a coisa por aqui num tá fácil, a minha Mãe já ficou internada e muito mal...

recebi teu mail mas num entendi muito fichi.

QUE PASSES BEM E BIJUCAS DA NANDINHA
Clarinanda Urban Bags a 27 de Maio de 2008 às 18:13

Olá amiga

Temos que reclamar pelos nossos direitos.

Cá fico á espera dos meus saquinhos para no verão levar de férias. (Julho)
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 20:56

Eu já me senti assim várias vezes, a ultima vez quem pagou as "favas" foi o coitado do segurança.

As melhoras e tudo de bom, beijinhos e rápidas melhoras.

Mundo que me rodeia.. a 27 de Maio de 2008 às 18:16

Temos que descarregar em alguém e por vezes é no primeiro que nos aparece pela frente.

Garanto-te que este médico ainda me ouvir dizer-lhe umas verdades.

Ele já me conhece há alguns anos e sabe que eu não me calo.
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 20:57

Oi Grilinha!
Então mais uma cena de hospital...
Francamente... Alguma vez escreveste no livro de reclamações? Por muito menos já fiz eu 3 queixas no hospital!
Ficas boa das miudezas mas com um ataque de nervos... :-))

Ainda bem que estás a recuperar.
mil bjinhos
KI
KI a 27 de Maio de 2008 às 18:18

Olá Ki

Que saudades de te ler.

Como estás? Dá noticias no mail.

Eu já estou melhor.

beijinhos
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 20:58

Boa tarde Amiga.
Gostei da tua exposição e com abordas-te este teu tema.
É uma vergonha o que se passa nos hospitais e centros de saúde.
Há cerca de um mês atrás também tive um problema mais ou menos igual.
Eu reclamei aqui na Internet, numa página de reclamações, mas até hoje nada sei o que foi feito sobre o caso.
Desejo que tenhas restabelecido dessa tua doença.
Um beijo.
Mário Lima
tempodosol a 27 de Maio de 2008 às 18:32

Olá Amil

Temos que reclamar e alertar para estas barbaridades que alguns senhores Drs pessam poder fazer sem ser punidos.

Neste caso não posso reclamar porque ele não falou directamente para mim mas sim para a enfermeira e não me chegou a mandar para o corredor porque a minha médica me deu alta.

mesmo assim quando for á consulta ele vai ouvir umas verdades.
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 21:00

que deus te ouça e que um dia destes apanhes o tal médico numa maca no corredor!
nessa altura põe-lhe a lingua de fora e faz-lhe caretas!
saltapocinhas a 27 de Maio de 2008 às 19:22

Olá saltapocinhas

A este gostava mesmo de apanhar numa cama de hospital e ir lá puxar-lhe o dedo do pé.

Até lá ele ainda me ouvir dizer-lhe umas verdades.

É já na 5ª feira da proxima semana que tenho consulta com a minha médica e encontro-o sempre lá nos corredores a esfregar o cú pelas paredes.
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 21:08

Há por aí muitos médicos que nem como talhantes seriam bons profissionais (sem desprimor para os ditos, é um modo de dizer). Vergonhosamente, neste país e não só, os médicos são não aquilo que deveriam ser: um curador e cuidador do doente, mas sim simples técnicos de saúde e a medicina sem humanidade não é medicina mas sim um negócio não muito diferente do que aquele que pratica qualquer taberneiro.
Um xicoração grande, Grillinha.
carlos lopes a 27 de Maio de 2008 às 19:28

Obrigda amigo

Já estou bemmelhor.

Na proxima semana vou á consulta de cirurgia com a minha médica e ele anda por lá nos corredores.

vai ter que me ouvir.
* * Grilinha * * a 31 de Maio de 2008 às 21:10


Fernanda Grilo
(Grilinha)
16/12/1957
Lisboa-Portugal
As Visitas
desde Nov/2003

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
29
31


comentários recentes
Boa noite.Há minutos, enquanto jantava, lembrei-me...
Gostei muito de ler a tua opinião! Um beijinho
http://meninadeangola.blogspot.com (http://meninad...
Ah ! Ah ! Ah !Adorei as regras.
Deixo o link para o meu Facebook:https://www.faceb...
Olá AméricoFiquei muito satisfeita de te voltar a ...
Bom DiaHá já muito tempo que fiz um comentário nes...
ObrigadaFoi pena o comentário ficar anónimo e assi...
Posts mais comentados
180 comentários
116 comentários
91 comentários
84 comentários
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar