O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


17
Fev 07

Dizem alguns amigos meus que tenho mau feitio, mas eu não me incomodo nada com isso e .... seja defeito ou “mau” feitio, já não vou mudar.

Mais um episódio nas urgências do Hospital de S. José.

 

Ontem (6ª feira), levantei-me com muitas dores na coluna (já ando assim há 2 meses) e ao abrir o armário dos medicamentos dei de caras com um analgésico/antipirético para tomar em SOS.

Em SOS ando eu sempre, mas desta vez não resisti e tomei 1 cápsula “Lyrac 150”.

Bebi o chá e comi uma fatia de pão torrado.

Meia hora depois começaram as tonturas, visão turva e nauseas.

Lá me fui arrastando entre a cama e o sofá mas a situação piorava a cada momento.

Ás 14 horas já não me aguentava de pé e lá fui amparada pelo meu filho até á cama onde caí quase inanimada.


Filho ao telefone – Boa tarde, a minha mãe está........ blá blá blá

112 – blá blá blá vamos já enviar uma ambulância

Uns minutos depois chegam os bombeiros que ao fazer os testes e perguntas da praxe, seguem rumo a S. José.


Tinóni Tinóni

15:13 – Chegada ao H. S. José o bombeiro faz a informação na triagem e numa das informações diz:

- A Sr.ª tem isto, isto, isto ....... e uma ileostomia há 9 anos.

- A médica – Que palavrão é esse?

O Bombeiro indignado com a questão da médica estagiária, responde-lhe:

- A Srª não tem intestino e usa um saquinho Sr.ª Dr.ª. Não sabe o que é?

Volta para junto de mim e diz-me:

- Você fica bem entregue, a médica não sabe o que é uma ileostomia!

 

Entrada imediata para o balcão de urgências.

Um primperan para pararem os vómitos e um Diazepam (relaxante muscular).

O médico não gosta muito dos sintomas e diz:


- A princípio achei que fosse um AVC ou alguma perturbação a nível do sistema nervoso central.

Vai a Otorrino para despiste, vai fazer um ECG e análises.


Alguns minutos passados e mantendo a dificuldade em articular palavras, as mãos geladas com os dedos dobrados e os pés gelados, pedem-me para passar para um cadeirão pois a maca faz falta para outro doente.

A cambalear e apoiada na auxiliar lá me arrastei até a um cadeirão onde me colocaram um cobertor a apoiar a cabeça e outro sobre as pernas para não arrefecer (gelada já eu estava).


Mais alguns minutos passados vem outra auxiliar pegar-me pelo braço.

- Não há cadeiras de rodas, faça lá um esforço para se equilibrar que vamos ao Otorrino.

Tombo para cá, pancada para lá, mão na parede, braço apoiado na auxiliar, lá chegámos ao outro lado do corredor.

- Estamos a ver um doente leve a senhora de volta que já a chamamos daqui a 15 minutos.

Percurso inverso, 30 minutos de espera.
Voltamos lá e estavam a conversar pois nitidamente tinham-se esquecido de me chamar.


No Otorrino fazem-se os testes do costume e acontecem os desequilíbrios uns atrás dos outros.

Depois de alguma explicação chegamos á fibromialgia que tenho há 4 anos.

“Vertigens, dores agudas, cansaço permanente, visão turva, zumbido nos ouvidos” ... não há dúvidas que é uma crise de fibromialgia em estado avançado.

- Tome este comprimido que não lhe vai resolver o problema mas tb não lhe fará mal nenhum.

 

De volta ao balcão já o cadeirão estava ocupado. Sento-me por breves instantes numa cadeira.

 

- Vá fazer um electrocardiograma e estas análises lá ao fundo do corredor.

- Sim, eu sei onde é mas não consigo lá chegar pelo meu pé.

- Vá aqui encostada a esta parede que lá ao fundo tem uns bancos.

 

A parede foi o meu amparo e lá cheguei á porta da analista (7 pessoas em pé á espera), voltei-me para a porta do ECG (tontura)... várias mãos dão apoio e lá se equilibra o esqueleto.

 

Deitada uns breves minutos para o ECG, foram óptimos para recuperar algum equilíbrio.

A braçadeira do pulso não faz contacto e há necessidade de a subir quase até ao cotovelo (A Sr.ª é muito magra)....... são 45kgs para 1,72m.

De volta ás análises, aguardar em pé alguns minutos numa zona de corrente de ar (quem lá vai sabe do que estou a falar).

Foi rápido tirar sangue.

- Aguarde +/- 2 horas pelo resultado.

 

De volta ao corredor frio e em corrente de ar, cheio de gente em pé e outras tantas sentadas nos poucos bancos disponíveis, lá se levanta um senhor, depois da enfermeira solicitar que os acompanhantes se levantassem para dar lugar aos doentes.

 

A sala do bar costuma ter ar condicionado e lá fui sentar-me numa cadeira do bar a beber um chá quentinho a fazer tempo para voltar ao balcão e saber o resultado dos exames.

 

2 Horas depois (19,30) as análises já lá estavam mas tinha que aguardar pois estavam a observar outros doentes.

Entretanto o Eng.º chega e faz alguma companhia.

 

Esperei... esperei... esperei... pedi... voltei a pedir... (60 minutos depois).

 

- Electrocardiograma (ligeira arritmia), análises (ligeira anemia, magnésio, potássio, cálcio, ferro... baixinhos), tem que engordar.

Vá ao seu médico de família para a enviar a neurologia e controle a fibromialgia com o seu reumatologista.

Boa noite e as melhoras.

- Obrigada (ainda agradeci! Estava mesmo doente !!)


Atravessar o H. S. José de ponta a ponta, debaixo de chuva, porque não foi permitido o Eng.º entrar com o carro que ficou estacionado nas imediações.

 

21:00 Horas – Chegar a casa, fazer um chá, estender roupa, arrumar a cozinha do jantar da família, beber o chá, deitar e dormir até de manhã.

 

O dia de hoje foi mais calmo mas ainda penoso.

 

Assim vai o SNS neste país á beira-mar plantado.

 

Nota: O H. S. José está em obras na antiga zona de urgências e SO há mais de 6 meses.

O atendimento é feito num corredor adaptado com painéis e cortinados (zona dos claustros) que tem recebido alguns melhoramentos de condições de atendimento mas que está, como vos descrevi.

 

Se eu tivesse o tal “mau feitio” que disse no início não teria vindo para casa sem reclamar por escrito, os lamentáveis episódios por que passei ontem naquele Hospital.

Quem me conhece sabe que não foi a 1ª vez que passei por situações caricatas em S. José, mas tb diga-se a bem da verdade que é num Hospital Civil que me têm salvo a vida, (Stº António dos Capuchos), onde o atendimento é melhor, mas mesmo assim, longe de ser o desejável.

 

Até um dia destes que pelos vistos a saúde vai continuar ausente aqui por estes lados!!

 

Grilinha

* * Grilinha * * às 09:42
estou: indignada
tags:

... ninguém merece, Grilinha... como escreves!!!... Sinto deveras o teus maus bocados, por cá... na família, sei bem o que isso é!!!... A falta de saúde, a dependência de maus serviços, o coração aos pulos, as incertezas... os sofrimentos, num País que, por dinheiros, vai fechando centros e serviços de urgência, não adequa os existentes!!!... Solidário contigo, amiga... como sempre!!!... Abraço do Sherpas!!!...
sherpas a 18 de Fevereiro de 2007 às 08:55

Obrigada Sherpas.
Só quem passa por aqueles (maus) serviços é que pode dar valor.
Um abraço e obrigada pelas palavras amigas.
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:07

Grilinha, eu fiquei sem palavras para comentar. Li o teu mail e o post em voz alta ao meu maridinho e ficamos ambos parvos com o que lemos. Sabes para o que me deu, deu-me para rir do ridiculo de tudo isto!!!! Não sei como aguentaste e aguentas, ou secalhar sei, é porque tens a energia que tens! E não tens mau feitio, mau feitio tenho eu e acho que lhes tinha chamado todos os nomes do dicionario! Meu anjo, o meu desejo sincero é que melhores, vai sendo o mesmo há já alguns anos que nos "lemos", mas nunca deixou de ser sincero :****
Tania a 18 de Fevereiro de 2007 às 10:32

Obrigada Tânia.
Nem imaginas o que eu lhes chamei em pensamento.
Já por outras vezes tenho passado episódios menos agradáveis nas urgências de S. José.
Quando consigo encontrar algum médico que conhece o meu caso a situação resolve-se mas o problema é quando encontro médicos que se assustam com a minha situação.
A minha médica já sabe o que se passou e já identificou a equipa que estava de serviço naquele dia.
Um beijinho e obrigada pelas palavras de conforto e carinho.
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:11

Em Novembro passei 1 semana com dores agudas na cara. Pareciam dores de ouvidos completamente insuportáveis e não havia analgésico que me ajudasse. Médica de famíla 'ah tem uma inflamação no ouvido'. Como entretanto não passou, otorrno 'os seus ouvidos estão impecáveis. talvez seja melhor ir ao dentista ou ao neurologista'. à noite lá fui ao hospital curry cabral 'doi-lhe a cara? so isso? bom nós nõ temos neurologia. vá ao s. josé'. viagem até ao s. josé. triagem. espera aqui, espera ali. chamada para o balcão (esse tal local com cortinas e paineis). mais nãosei quanto tempo à espera (pareciaum hospital de capaha, durante uma qualquer guerra). explico a situação. a médica olha paramim com ar de 'humm est está a fingir que tem dores para lhedar comprimidos'. porque o meu 'único' sintoma eram realmente as dores. 'espere que a vamos reencaminhar para neurologia, já a chamamos'. mais esperas. finalmente neurologista 'bom, pelos testes que se podem fazer aqui, nõ me parece ter nadade nurológico. se se mntiver assim, venha cá a uma consulta comigo, mas entretatoexperimente ir ao dentista.' Tudo sem nunca me ter doído o dente!
Não quero, de todo, comparar situações. Mas se no meu caso muito menos grave foi o qe foi, nem queria imaginar se estivesse realmente doente.
Um beijnho e as melhoras.
Cristiana a 18 de Fevereiro de 2007 às 10:41

Obrigada Cristiana.
Começaste cedo a passar situações complicadas.
Desta vez não reclamei por escrito porque nem tinha cabeça ara me equilibrar mas já informei a minha médica e ela identificou a equipa que etava de serviço nesse dia.
Espero não ter que lá voltar tão rapidamente.
Um beijinho
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:13

~Infelizmente este é o país que temos. Médicos como essa que te atendeu são ás dezenas e só quem tem que passar pelas urgências hospitares é que sabe dar o valor. Há 3 ou 4 meses também tive que ir à urgência. Pensei...se for para os hospitais civis nunca mais sou atendida e não posso estar sentada muito tempo. Fui à Cuf Descobertas. Paguei 120 euros na consulta nas urgências (e isto pq não fiz nenhum exame). No final tiveram que me fazer um penso numa nádega. Avisei que era alérgica a alguns adesivos. Ninguém me ouviu. Resultado......2 dias depois tinha a nádega toda em ferida e tive que voltar lá e pagar + 100 euros para já não falar nos dias que tive que ficar de cu para o ar.....
Beijinho grande e rapidas melhoras
bitu a 18 de Fevereiro de 2007 às 11:41

Oh bitu fizeste-me rir com o teu relato que a ti não deve ter dado graça nenhuma.
Este país anda para trás a passos largos.
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:14

Olá.
Um bom dia.
Tem muita razão, Isto é uma realidade.
Por acaso preenchei o livro de reclamações?
Senão! Devia ter escrito!
Um bom Domingo.
Beijo.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá. <BR>Um bom dia. <BR>Tem muita razão, Isto é uma realidade. <BR>Por acaso preenchei o livro de reclamações? <BR>Senão! Devia ter escrito! <BR>Um bom Domingo. <BR>Beijo. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>amil</A>
amil a 18 de Fevereiro de 2007 às 11:50

Olá Amil.
Naquele dia não tinha cabeça para escrever nada pois as vertigens e as tonturas não me davam hipotese para tal.
Já falei com a minha médica e contei-lhe o episódio.
Um beijinho
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:15

Rápidas melhoras!!!!
Jinhos***
* a 18 de Fevereiro de 2007 às 16:44

Obrigada net_sobrinha. Um beijinho
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:15

Tem mau feitio, a Grilinha???
Que direi de mim, que esgotei o dicionário de vernáculo enquanto lia este triste episódio a que a sujeitaram???
Há que fazer alguma coisa contra esta falta de vergonha, de respeito e de consideração por quem paga tudo e nada tem. Apre, já chega de sermos tão passivos.
um beijo grande e o forte desejo de melhoras, Grilinha.
GMaciel a 18 de Fevereiro de 2007 às 17:45

Olá Graça.
Da próxima vez levo-te comigo e damos cabo deles.
Naquele dia as tonturas não me deram hipoteses de pensar com calma.
Um beijinho
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:17

Que tamanha vergonha.. mas isto acontece em todo o lado.. infelizmente..

Mas a culpa disto tudo.. é deste governo e dos governos passados que nada fizeram melhorar as urgências.. pior ainda vai ficar com o fecho de algumas urgências..
confissoesdeumasurda a 18 de Fevereiro de 2007 às 17:49

Tens razão.
Por este andar a situação ainda vai piorar mais.
Este país vai de mal a pior e o povo é que sofre.
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:18

Já agora.. as melhoras!! **
confissoesdeumasurda a 18 de Fevereiro de 2007 às 17:50

Eu tinha tido um ataque de mau feitio...que tinham que recomeçar as obras naquele sítio...de certeza. Haja paciência para este SNS...que parece mais "Sistema Nacional Vamos Lá a Ver se Despachamos Metade da População Deste País Para Não Termos Que Pagar Reformas a estes Gajos"
É uma vergonha, qualquer hospital considerado ruim em Espanha é melhor que os nossos...
Olha espero sinceramente que melhores e que não tenhas que voltar lá tão cedo!
Beijinhos
Xanu a 18 de Fevereiro de 2007 às 18:45

eheheheh
Vontade não me faltou mas o pior é que mal me aguentava em pé.
Já não é a primeira vez que estas situações acontecem e eu consigo dar a volta por cima chamando os médicos e exigindo, mas desta vez eu não conseguia raciocinar direito.
Um beijinho
* * Grilinha * * a 23 de Fevereiro de 2007 às 23:20


Fernanda Grilo
(Grilinha)
16/12/1957
Lisboa-Portugal
As Visitas
desde Nov/2003

Fevereiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
15
16

18
19
20
21
22

25
26
27


comentários recentes
Boa noite.Há minutos, enquanto jantava, lembrei-me...
Gostei muito de ler a tua opinião! Um beijinho
http://meninadeangola.blogspot.com (http://meninad...
Ah ! Ah ! Ah !Adorei as regras.
Deixo o link para o meu Facebook:https://www.faceb...
Olá AméricoFiquei muito satisfeita de te voltar a ...
Bom DiaHá já muito tempo que fiz um comentário nes...
ObrigadaFoi pena o comentário ficar anónimo e assi...
Posts mais comentados
180 comentários
116 comentários
91 comentários
84 comentários
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar