O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


17
Out 06

Eu conheço um país que tem uma das mais baixas taxas de mortalidade de recém-nascidos do mundo, melhor que a média da União Europeia.

Eu conheço um país onde tem sede uma empresa que é líder mundial de tecnologia de transformadores. Mas onde outra é líder mundial na produção de feltros para chapéus.

Eu conheço um país que tem uma empresa que inventa jogos para telemóveis e os vende para mais de meia centena de mercados. E que tem também outra empresa que concebeu um sistema através do qual você pode escolher, pelo seu telemóvel, a sala de cinema onde quer ir, o filme que quer ver e a cadeira onde se quer sentar.

Eu conheço um país que inventou um sistema biométrico de pagamentos nas bombas de gasolina e uma bilha de gás muito leve que já ganhou vários prémios internacionais. E que tem um dos melhores sistemas de Multibanco a nível mundial, onde se fazem operações que não é possível fazer na Alemanha, Inglaterra ou Estados Unidos. Que fez mesmo uma revolução no sistema financeiro e tem as melhores agências bancárias da Europa (três bancos nos cinco primeiros).

Eu conheço um país que está avançadíssimo na investigação da produção de energia através das ondas do mar. E que tem uma empresa que analisa o ADN de plantas e animais e envia os resultados para os clientes de toda a Europa por via informática.

Eu conheço um país que tem um conjunto de empresas que desenvolveram sistemas de gestão inovadores de clientes e de stocks, dirigidos a pequenas e médias empresas.

Eu conheço um país que conta com várias empresas a trabalhar para a NASA ou para outros clientes internacionais com o mesmo grau de exigência. Ou que desenvolveu um sistema muito cómodo de passar nas portagens das auto-estradas. Ou que vai lançar um medicamento anti-epiléptico no mercado mundial. Ou que é líder mundial na produção de rolhas de cortiça. Ou que produz um vinho que "bateu" em duas provas vários dos melhores vinhos espanhóis. E que conta já com um núcleo de várias empresas a trabalhar para a Agência Espacial Europeia. Ou que inventou e desenvolveu o melhor sistema mundial de pagamentos de cartões pré-pagos para telemóveis. E que está a construir ou já construiu um conjunto de projectos hoteleiros de excelente qualidade um pouco por todo o mundo.

O leitor, possivelmente, não reconhece neste País aquele em que vive - Portugal.

Mas é verdade. Tudo o que leu acima foi feito por empresas fundadas por portugueses, desenvolvidas por portugueses, dirigidas por portugueses, com sede em Portugal, que funcionam com técnicos e trabalhadores portugueses. Chamam-se, por ordem, Efacec, Fepsa, Ydreams, Mobycomp, GALP, SIBS, BPI, BCP, Totta, BES, CGD, Stab Vida, Altitude Software, Primavera Software, Critical Software, Out Systems, WeDo, Brisa, Bial, Grupo Amorim, Quinta do Monte d'Oiro, Activespace Technologies, Deimos Engenharia, Lusospace, Skysoft, Space Services. E, obviamente, Portugal Telecom Inovação. Mas também dos grupos Pestana, Vila Galé, BES Turismo e Amorim Turismo. E depois há ainda grandes empresas multinacionais instaladas no País, mas dirigidas por portugueses, trabalhando com técnicos portugueses, que há anos e anos obtêm grande sucesso junto das casasmãe, como a Siemens Portugal, Bosch, Vulcano, Alcatel, BP Portugal, McDonalds (que desenvolveu em Portugal um sistema em tempo real que permite saber quantas refeições e de que tipo são vendidas em cada estabelecimento da cadeia norte-americana).

É este o País em que também vivemos. É este o País de sucesso que convive com o País estatisticamente sempre na cauda da Europa, sempre com péssimos índices na educação, e com problemas na saúde, no ambiente, etc.   Mas nós só falamos do País que está mal. Daquele que não acompanhou o progresso. Do que se atrasou em relação à média europeia.

Está na altura de olharmos para o que de muito bom temos feito. De nos orgulharmos disso. De mostrarmos ao mundo os nossos sucessos - e não invariavelmente o que não corre bem, acompanhado por uma fotografia de uma velhinha vestida de preto, puxando pela arreata um burro que, por sua vez, puxa uma carroça cheia de palha. E ao mostrarmos ao mundo os nossos sucessos, não só futebolísticos, colocamo-nos também na situação de levar muitos outros portugueses a tentarem replicar o que de bom se tem feito.

Porque, na verdade, se os maus exemplos são imitados, porque não hão-de os bons serem também seguidos?

Nicolau Santos, Director-adjunto do Jornal Expresso In "Revista Exportar"

* * Grilinha * * às 13:28
estou:

Minha querida, sabes... Portugal não é um país assim grande coisa. Agora os "portugueses" é outra história! Para cada "nabo", temos meia duzia de pessoas que valem a pena, estejam onde estiverem! Beijão
Fernanda a 17 de Outubro de 2006 às 14:10

Gostei de ler, não tina conhecimento da maior desses factos. Eu sou a favor do nosso País, acho que valemos bastante.

Bjinhos
GE a 17 de Outubro de 2006 às 14:10

Dia de pensamento positivo, muito bem! :)
Beijinhos e tudo de bom para ti e a tua família. :)
espectacologica a 17 de Outubro de 2006 às 14:22

Recebi por mail e valeu a pena.
Mikas a 17 de Outubro de 2006 às 16:19

Somos rabugentos, mal-dizentes, pessimistas, sem auto-estima, pronto - somos portugueses!
Nunca dizemos o que temos de bom,nem quando estamos felizes. Que povo esquisito!
Sassilva a 17 de Outubro de 2006 às 18:58

... para alguns, pequena percentagem... Grilinha, um rico País!!!... Se vale a pena, evidente que sim... basta ser o nosso!!!... A duas, três ou mais velocidades... um facto!!!... Texto bem escrito, gente bem... colocada, certamente!!!... COISAS!!!... Sherpas!!!...
sherpas a 17 de Outubro de 2006 às 19:10

Finalmente alguém pega em meia dúzia de coisas de que vale a pena falar, e no final coloca "A" questão fundamental:seguir os bons exemplos... Espero que textos como este despertem o que de melhor existe em nós, que seja o começo do fim de um ciclo de negativismos, rodriguices, fatalismos, eu sei cá!
Eu, gosto de nós!

Alberto
Anónimo a 17 de Outubro de 2006 às 22:36

Mais do que achar que vale a pena (vale sempre quando a alma não é pequena...) eu acredito que é possível, que pouco mais basta do que acreditar.
Mas também me apelidam - com ternura mas condescendência - de romântica.
E aqui entre nós, não me importo :-)

Beijo grande grilinha
Maria Alfacinha a 18 de Outubro de 2006 às 00:49

Apoiado a 100%. É altura de vermos o que de bom temos e disso nos orgulhar. Xicoração.
carlos lopes a 18 de Outubro de 2006 às 15:33

mas às vezes não dá vontade de cá morar!! ando desiludida!!! Jocas
panpanisca a 18 de Outubro de 2006 às 17:06


Fernanda Grilo
(Grilinha)
16/12/1957
Lisboa-Portugal
As Visitas
desde Nov/2003

Outubro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

16
18
19
21

22
23
24
25
26
28

29
31


comentários recentes
Boa noite.Há minutos, enquanto jantava, lembrei-me...
Gostei muito de ler a tua opinião! Um beijinho
http://meninadeangola.blogspot.com (http://meninad...
Ah ! Ah ! Ah !Adorei as regras.
Deixo o link para o meu Facebook:https://www.faceb...
Olá AméricoFiquei muito satisfeita de te voltar a ...
Bom DiaHá já muito tempo que fiz um comentário nes...
ObrigadaFoi pena o comentário ficar anónimo e assi...
Posts mais comentados
180 comentários
116 comentários
91 comentários
84 comentários
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar