O meu outro Blog - de Culinária
"A Cozinha da Grilinha"


26
Abr 04
Hoje (26/4/2004) estou convocada pela 6ª vez em 2 anos para me apresentar no Centro de Emprego da minha área. Das outras vezes passei lá parte do dia a ouvir como se faz um Curriculum, uma carta de apresentação, a postura a ter nas entrevistas, etc etc. Quando chega a minha vez e me perguntam qual era a minha função, eu explico que fui “Responsável de Recursos Humanos” e que entrevistas, analisar CV, salários, avaliações de desempenho, formação etc etc foram as minhas funções ao longo de 26 anos de carreira.
A ultima vez que lá estive fiquei pasma ao constatar que os exemplos de CV e cartas que apresentam estão completamente desactualizados. A técnica desculpou-se esfarrapadamente por não ter um manual mais actualizado. Na sala estavam cerca de 20 pessoas entre os 35 e os 55 anos, licenciados ou com habilitações a nível do secundário e das mais diversas profissões.
Ao fim de meia hora a senhora optou por mandar sair os casos próximos da pré-reforma (55 anos) e os licenciados, porque não há formação disponível para estes casos e nem se vislumbra a hipótese de emprego.
Questionei a senhora se costumavam sondar as empresas sobre as necessidades de trabalhadores, ao que me respondeu que as empresas é que os procuram. (é claro que não procuram).
Descontei para a Segurança Social durante 26 anos a “bruta” percentagem que todos somos obrigados a ver retirada aos salários. Sempre soube que o sistema não funciona na proporcionalidade dos salários e descontos efectuados mas nunca pensei chegar ao ponto em que me encontro hoje. Para receber o 1º subsidio de desemprego, foram precisos 6 meses e muitos telefonemas e deslocações à Seg Social.
É verdade que utilizo com mais frequência desde 1998 (há 6 anos) o sistema de Seg Social (internamento hospitalar, cirurgias e medicamentos ). Tenho acesso a este sistema porque trabalhei e fiz descontos. Não caberia ao Governo facilitar aos seus cidadãos a Saúde Grátis? Desde 1998 que tenho uma incapacidade de (68%) que apenas me dá direito a ser reembolsada de 2€ por dia, sendo que gasto em material de ileostomia a quantia de 15€ diários.
Estou no fim do subsidio de Desemprego e sem emprego à vista, pelo que me resta viver da caridade do meu marido até atingir a idade da reforma por velhice (já morri antes).
É claro que a treta toda é que não andamos a descontar uma vida inteira para nós. Andamos a descontar para as pessoas que recebem o ordenado mínimo garantido, para os desempregados de longa duração, para as pensões das donas de casa e agricultores que não fizeram descontos, etc. E não digo que isso seja mau porque acho que faz parte da vida em sociedade. Mas acho que está errado ficar dependente de um familiar ao fim de 26 anos de trabalho e de descontos que fui obrigada a fazer !! Por muito que tenha poupado, não há poupança que dure anos e anos sem salário ou pensão.
Dos cerca de 300 colegas que ficaram no desemprego no mesmo dia que eu, nenhum foi contactado pelo Centro de Emprego para hipótese alguma. Cada um teve que se safar sozinho pois as reuniões no centro de Emprego só servem para perder uma manhã.
Por mim acho que o melhor é deixarem-nos ficar com o nosso dinheirinho e não têm que se preocupar mais connosco. Cada um que trate de si, e que utilize os seus descontos para um seguro de saúde ou um PPR .
Vou dormir que daqui a poucas horas lá vou eu uma vez mais ouvir a mesma lengalenga.
grilinha às 00:21
* * * Grilinha * * * em 30/09/2007 às 16:02

«Silvia» Lamento a tua situação e compreendo o que estás a passar. Vai á luta que és nova e por certo vais encontrar um emprego á altura dos teus conhecimentos. Um beijinhogrilinha
</a>
(mailto:g@a.pt)
Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 15:12

Tava a dar uma vista de olhos pelo teu blog, e surpreendi-me com a questão de teres trabalhado com a gestão de rec. humanos. Tirei esse curso, faz quase 4 anos, e até hj ainda n arranjei emprego na área, o que me deixa mto infeliz! Só pedem pessoas com experiência! Não me dão a mínima oportunidade! Agora está a acabar o subs. de desemprego a que tinha dto, por ter trabalhado numa coisa que nada tinha a ver cmg... Que vou fazer agora? Enfim!
http://sunshine.blogs.sapo.pt/
http://pequenitos.blogs.sapo.pt/Sílvia
(http://sunshine.blogs.sapo.pt/)
(mailto:silviaspt@sapo.pt)
Anónimo a 29 de Julho de 2004 às 21:12

«Moonie» As empresas de trabalho temporário têm sido a "tábua de salvação" para milhares de pessoas, pois os Centros de Emprego é que deveriam de fazer o trabalho que essas mesmas empresas fazem (pesquiza de necessidades de trabalhadores junto das empresas). Vai tudo correr bem e quem sabe até ficas na empresa onde estás. Um beijinho e obrigada pelo carinho.grilinha
</a>
(mailto:grila@netcabo.pt)
Anónimo a 4 de Maio de 2004 às 09:33

Meu anjinho.. lamento imenso o que contigo está a acontecer. Lembro-me bem daquele ano que estive desempregada e do difícil que foi achar emprego. Nenhumas ajudas tive do Centro de Emprego, e fui, por exposição própria a muitas entrevistas. Da parte deles nunca me chamaram nem disseram nada. Quando finalmente consegui trabalho, foi através de uma dessas empregas de trabalho temporário e já cá estou há mais de 1 ano. Vão-me renovar agora por mais 4 meses e tenho medo de me mandarem embora e ficar como tu por exemplo. O desemprego neste pais é uma imagem extremamente negra. Desejo-te todo o apoio e sorte que precisares minha linda. :*Moonie
(http://mooncat.blogdrive.com)
(mailto:not@here.com)
Anónimo a 2 de Maio de 2004 às 15:55

«Idade da Loba» Minha amiga dizes grandes verdades que são o dia a dia de muitas pessoas neste país que a passos largos aumenta o fosso entre ricos e pobres. A classe me´dia predominante tem tendência a acabar pendeno para a pobreza .... havendo já um aumento significativo de pobreza extrema. :(grilinha
</a>
(mailto:grila@netcabo.pt)
Anónimo a 1 de Maio de 2004 às 22:21

«M» É verdade. Há muitas pessoas sem formação e informação que dificilmente se conseguem movimentar na nossa Adm Pública onde a simpatia e apoio parecem ficar á porta.grilinha
</a>
(mailto:grila@netcabo.pt)
Anónimo a 1 de Maio de 2004 às 22:08

É realmente a nossa triste realidade, Grilinha. Tal como tu, qualquer um de nós está sujeito a uma situação idêntica, e o que nos resta ? O mesmo que a ti. Este sistema não funciona mesmo, acredita. E o pior é que para descontares (obrigatoriamente) para a Seg Social (perante o nível salarial do nosso país !) já não podes descontar para outro sistema de saúde á tua escolha, pois o dinheiro não dá para tudo. O certo é que se ficarmos desempregadas e não descontarmos até os abonos de família dos nossos filhos nos cortam, mas há muitos filhos ( de pessoas - segundo eles - desfavorecidas) que até nunca na vida descontaram, mas que nunca perdem esse direito !!! Esses filhos têm sempre o seu abono de família garantido, os nossos NÂO !! Porquê ??? Alguns dos pais dessas crianças vivem descaradamente de rendimento mínimo garantido, e nunca na vida descontaram !!! Como é a nossa vida então ?? Há igualdade ou comem todos ????
Força Grilinha ! Sei que não consola, mas...há milhares de portugueses nesta situação... Kiss A Idade da Loba
</a>
(mailto:a.idade.da.loba@sapo.pt)
Anónimo a 1 de Maio de 2004 às 19:29

Acho que este campo é mais um onde cabe o ditado: muito bem prega frei tomáz, olha par ao que ele diz, nunca para o que faz! Mesmo assim há quem não entenda... fiquei colada às tuas palavras. E revoltada. Há coisas que não deviam acontecer!M.
(http://passoapasso.weblog.com.pt)
(mailto:m_vm_home@tvtel.pt)
Anónimo a 1 de Maio de 2004 às 01:17

«blueturtle» Ainda bem que aparece mais alguém a confirmar o que eu disse por aqui no texto e nos comentários. A formação "é treta" e a colocação "vai pelo mesmo caminho". Será que isto pode continuar assim por muito mais tempo? ... Não haverá alguém que bata o pé e ponha ordem nesta confusão?!!! Eu tenho fé que algo vai aparecer e ainda vou voltar a trabalhar.grilinha
</a>
(mailto:grila@netcabo.pt)
Anónimo a 28 de Abril de 2004 às 23:53

«lique» Olá amiga. Ajuda sim. Ter amigos tem sido a minha salvação nos últimos anos. Obrigada pelo "ombro" amigo, mesmo que virtual.grilinha
</a>
(mailto:grila@netcabo.pt)
Anónimo a 28 de Abril de 2004 às 23:49


Fernanda Grilo
(Grilinha)
16/12/1957
Lisboa-Portugal
As Visitas
desde Nov/2003

Abril 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
15

18
19
20
21
22
23
24

25
27
28
30


comentários recentes
Olá.Quando vi no mail "Grilinha", voltei a sorrir....
Olá Maria AraújoObrigada por te teres lembrado de ...
Boa noite.Há minutos, enquanto jantava, lembrei-me...
Gostei muito de ler a tua opinião! Um beijinho
http://meninadeangola.blogspot.com (http://meninad...
Ah ! Ah ! Ah !Adorei as regras.
Deixo o link para o meu Facebook:https://www.faceb...
Olá AméricoFiquei muito satisfeita de te voltar a ...
Posts mais comentados
180 comentários
116 comentários
91 comentários
84 comentários
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar